Caminho pelas Estrelas

quinta-feira, 5 de maio de 2022

LIVRO VOZES DA ALTO ACADEMIA DE LETRAS DE TEÓFILO OTONI Título: À MINHA ALMA GÊMEA Autor: ODENIR FERRO






Prezados confrades e confreiras,
 AMIZADES AMANTES DA LITERATURA POÉTICA

Encamihamos, anexo, PDF  da Antologia Vozes da ALTO: Poesias. O exemplar impresso  está sendo disponibilizado ao preço de custo para  cobrir despesas de impressão, diagramação e isbn.
Valor do exemplar:R$ 20,00 + despesa postal.

O projeto editorial faz parte das comemorações dos 20 anos de fundação da ALTO: Jubileu de Porcelana.

Saudações acadêmicas,


Wilson Colares da Costa
Secrerário Geral

SIGAM O INSTAGRAM DA ACADEMIA DE LETRAS DE TEÓFILO OTONI

@letrastomg  

Saudações Literárias a TODOS OS HUMANOS TERRÁQUEOS

Por preservação de Nomes, Imagens e Respeito aos meus Confrades e Confreiras, apenas divulgo por aqui, no meu Blogger, o meu Poema, o qual, está impresso nas páginas deste maravilhoso livro. MÁXIMO RESPEITO.

Título: À MINHA ALMA GÊMEA

Nome do Autor: ODENIR FERRO

Cidade de Rio Claro, Estado de São Paulo

 

Lá fora, a chuva cai, cai, cai, cai, cai...

Gotículas respingam-se nas janelas.

No meu quarto, tudo é silencio...

Exceto, os tilintares dos pingos.

 

Estilhaçados no encontro das vidraças.

Cores incidentais, explodem-se.

Vindas das luzes dos postes

ao lado das janelas.

 

No interior de mim,

vibro dolorosos silêncios.

Nas janelas dos meus olhos,

ardorosos, sublimados...

 

Olho o enorme espelho

defronte de mim.

Qual sou eu, nós...

Nós? Quiséramos,

fossemos assim...

 

Nele me noto, – enquanto

digito palavras ao acaso,

no computador, – sublimando

emoções. Fortíssimas intuições:

 

- Invasoras dos prantos incontidos!  

- Incalculáveis. Tão inarticuláveis...

- Mirando-me olho nos meus olhos,

nos espelhos, defronte a mim:

 

- No qual, sinto, refletirem as suas imagens...

Dentro dos incógnitos dos meus pensamentos.

Muito embora jamais, as minhas dores,

dentro da sua ausência...

 

Vou vivendo, vivendo, rebuscando-me:

Ressentindo suas desfocadas imagens...  

Na qual choroso, desfigurado, me vejo,

Me revendo nos espelhos estilhaçados!

 

- Dentro das ignorâncias das nossas almas:

- Desfiguradas aos desalentos...

Pela ausência das nossas

presenças, aqui comigo.

Vivendo sigo à espera de ti.


 

Nenhum comentário: