domingo, 8 de agosto de 2021

Poema: AO MEU PAI Autor: Odenir Ferro

 


Ele, ANGELO FERRO, Deus o tenha vivendo em  plenitude...  passeando na  Eternidade... Ôh, Pai, procura por aí o Paizão do Michel... Deus os Abençoem...

Deixa eu voltar a dizer:

- Ele, ANGELO FERRO, O Êgo... O seu apelido de infância... Com um  apelido destes, é claro, sempre foi muito teimoso, verdadeiro, obstinado, inteligente e seguro de si mesmo. 

Resumindo: Italianão Genuíno mesmo. Sem por em conta – que, além de ser muito teimoso, - foi um homem super. E é por isso eu eu o comparo com a  ficção, no meu Poema AO MEU PAI: 

- Na realidade, ao menos dentro da minha realidade existencial, espiritual e física, Ele, O Meu Êgo, Sempre foi e sempre será O MEU SUPER-HERÓI...

- Super trabalhador, honesto... E, excessivamente, obstinado – mesmo!

- Por muitos anos eu me enganei, acreditando que eu tivesse "puxado" o gênio dele! Mas eu, atualmente tenho pensado que estou mais para a minha mãe, ou sei lá:

- Eu sou eu, no resultado de muitas, numas fusões genéticas dos dois... 

- Eternamente Amarei Vocês dois, meus queridos:

- Através de Deus Jeová, Os Meus Genuínos Anjos da Guarda!

- Olha aí, hein! Dia a dia estou subindo os degraus de Deus Jeová!

- Pedindo-Lhe ardentemente, para que Ele possa me conceder este privilégio:

- O de nos reencontraremos... Um abração bem forte no irmão Odemilson! Tá feliz agora né mãe... (...!) Deus Lhes abençoem grandemente..

Ah, antes que eu publique, deixa eu contar-lhes:

Eu tenho um íntimo orgulho guardado dentro de mim.  Deus Jeová me concedeu a glória de me reconciliar-me com Ele, Angelo Ferro, e em vida. Foi um dos dias mais felizes e amorosos da minha história pessoal. Este poema foi publicado no Jornal TRIBUNA 2000! Daí, então, eu entrei no quarto dele, abri o Jornal Tribuna 2000! Ele, sentado na sua cadeira de papai, assistindo TV! Eu abri a página do Jornal Tribuna 2000, onde estava impressa a sua poesia, na Poesia da Semana:

- E falei... Nossa Pai, o que é que está escrito aqui...

- Joguei o Jornal pra ele... e saí do quarto. Naquele dia, a minha mãe não estava em casa. Fui até ao banheiro, abri a pia... 

- E, chorei por algum tempo! Depois, voltei até ele.

- E então percebi, que nós havíamos nos reconciliados...

- Nos perdoados! Nos nossos relacionamentos entre Pai, 

- E ínfimo filho, sei lá, que fui, que sou... Mas na minha fé em Deus e pessoal, eu fui acreditando e desejando progredir, e aqui estou:

- Vivo! Porque sempre carreguei dentro do meu Histórico de Vida,

- As Inenarráveis Dores Físicas e Espirituais, as quais, o Nosso Senhor Jesus Cristo, por Genuíno Amor de Nós, doou o Seu Sangue por Nós

- Mas, voltando a falar do meu Papai Angelo Ferro:

 Eu sei que ele leu o meu livro infanto-juvenil Nino Chaninho, O Gatinho! Eu sei que ele indevidamente, super valorizou a minha Obra! Jamais saberei descrever as emoções humildes e os sentimentos do que ele me disse, num outro dia composto, além deste momento:

- Eu sou um mísero qualquer, indigno Pai! Obrigado por vocês terem me acolhido, na sua Família que deu certo! Eu sou errado... sei lá... Mas eu me sinto forte em mim, por mim, e dentro de mim, vou lutando... 

Mas... Sendo Ele Angelo Ferro, o meu Super-herói, vou falar tudo. Mas não pretenderei aprofundar-me muito. Eu já disse tudo, quando disse que ele não é o meu Super-herói de ficção. Pois dentro de mim, ele é, foi, e será eternamente real... E eu creio que um dia, nos reencontraremos dentro de uma sintonia real: igual à aquela em que olhávamos olho no olho... Desejando sermos os desbravadores, os descobridores, de alguma ação, de alguma oração possível de que não fosse passível, e que sendo desta forma, pudéssemos reencontrarmo-nos, recontarmo-nos, nas luzes do nosso futuro. Futuro, o qual ambos nós, sabíamos, estava abreviando-nos. Ao menos, nesta dimensão. Muito embora, sabíamos, que... Um dia nos reencontraríamos! Como nós nos reencontramos em muitas e muitas outras vezes. Nós nos amamos. Isto nos preenche. Isto nos basta. Não devemos satisfações a ninguém. A não ser, ao nosso Criador: DEUS!

 

PoemaAMEPAI

AutorOdeniFerro

Somente o meu Pai é meu verdadeiro Ídolo!

E por não ser uma ficção de Super-Heróis,

Meu Pai, sempre foi a força que até hoje,

Motiva-me, me inspira, assim me constrói!

Numa comparação entre Ele e Jesus Cristo,

Não sei, qual dos dois, nesta minha vida,

Em termo de exemplos, por Amor, eu aprendi,

E ao dignificar-me, por Tudo, edifiquei-me!

 

Eu somente sei dizer, que esses dois,

Sempre muito, muito, muito eu Os amei!

Meu Pai sempre foi muito, muito simples,

Um bom pescador, um grande trabalhador,

Muito rígido, um Pai presente-ausente,

Mas muito inteligente e batalhador...

 

Quanto a mim, sou um colecionador de pedras

Enquanto sou simples humilde, um sonhador!

Sou mais um contador das belas estrelas...

Como se fossem elas, brilhantes, diamantes!

 

Eu ainda vivo admirando a pérola luz do luar,

Como se pra mim, a lua fosse um algodão-doce,

A lembrar-me do distante-presente amor desse Amor,

Da infância que tanto vivi e está nas boas recordações

Tal igual, como no dia em que pela primeira vez,

De um Sonho de Valsa eu me lambuzei e comi...

 

Chocolate! Que foi um presente do meu pai,

Após o corte de cabelo a máquina "Fuzileiro"!

Lembro-me das mãos tão protetoras do meu Pai,

Onde meu coração, minhas mãos e eu, me aqueci!

 

Via naquele colorido daquele papel prata chumbo

Um sonhador desfile da vida das "gentes grandes"

Refletidas nos desenhos do casal Sonho de Valsa,

Nas pautas musicais dançantes, no cheiro dos pães

Dos pães doces, muitos, muitos doces, muitas massas

Da Padaria repleta de amor pra mim, e algodão-doce!

 

Recordações tantas, que nunca mais me esquecerei...

Pois que no fundo, muito profundo, eu sempre amei!

Pois não são Eles, Super-Heróis, até nos dias de hoje,

Meus Amigos, meu Pai e Cristo, são as minhas fontes


Das forças inspiracionais e motivacionais que me constroem!

Se um se inspirou a produzir-me (Por Deus, Átomo-semente)

O outro, pelo esperma e puro amor, me encarnou (Na Vida...)

E ambos me consagraram, pois que sou muito, muito, abençoado!

 

 Poema: A MI PADRE

Autor: Odenir Hierro

Sólo mi padre es mi verdadero ídolo!

¿Y por qué no puede ser una ficción de Superhéroes,

Mi padre siempre ha sido la fuerza que hoy,

Me motiva, me inspira, por lo que me construir!

Una comparación entre Él y Jesucristo,

No sé cuál de los dos, ésta es mi vida,

En cuanto a los ejemplos, amor, aprendí,

Y para mí dignificar para todo, yo me construí!

 

Sólo sé decir que estos dos,

Siempre muy, muy, muy Me encantó El!

Mi padre siempre fue muy, muy simple,

Un buen pescador, un gran trabajador,

Muy dura, este padre de un ausente,

Pero muy inteligente y luchando ...

 

En cuanto a mí, soy un coleccionista de rock

Aunque soy humilde sencilla, un soñador!

Soy más un recuento de las hermosas estrellas ...

Como si, brillante, diamantes!

 

Yo vivo sigue admirando la luna de la perla,

Como yo, la luna era un algodón de azúcar,

El recuerdo lejano presentes Amor este Amor,

Desde la infancia yo viví y está en buenos recuerdos

Sólo la misma, como el día, por primera vez,

Un sueño de vals Me lambuzei y comió ...

 

Chocolate! Eso fue un regalo de mi padre,

Después de la máquina de corte de pelo "Marine"!

Recuerdo las manos tan protector de mi Padre,

Cuando mi corazón, mis manos y yo me calentaba!

 

Via de que el papel de color que el plomo plata

Un desfile soñador de vida de los "grandes personas"

Reflejado en dibujos de la pareja Sonho de Valsa,

En el baile partituras musicales, el olor del pan

Panes dulces, muchos, muchos, muchos dulces masas

La panadería lleno de amor por mí, y algodón de azúcar!

 

Tantos recuerdos, nunca se olvida ...

Para que en el fondo, muy profundo, siempre me encantó!

No son ellos, Superhéroes, hasta hoy,

Mis amigos, mi Padre y de Cristo, son mis fuentes

Las fuerzas de inspiración y de motivación que me crean!

Si uno se inspiró para mí producir (Dios, semilla Atom)

El otro, el esperma y el amor puro, me encarnado (En la vida ...)

Y ambos me consagró porque soy muy, muy bendecido!

 

Poème: À MON PÈRE

Auteur: Odenir Ferro

 

Seul mon père est mon idole vrai!

Et pourquoi ne pas être le fruit de Super-Héros,

Mon père a toujours été la force qui, jusqu'à présent,

Il me motive, m'inspire, j'ai donc construit!

Dans une comparaison entre lui et Jésus-Christ,

Je ne sais pas lequel des deux, dans ma vie,

En termes d'exemples, pour l'amour, j'ai appris,

Et pour m'élever, par tous, je me suis construit!

 

Je ne vous dis que ces deux

Toujours très très bien j'ai adoré La!

Mon père a toujours été très, très simple,

Un bon pêcheur, un grand travailleur,

Très dur, un père présent-absent,

Mais très intelligent et travailleur ...

 

Quant à moi, je suis un collectionneur de roches

Alors que simple'm humble, un rêveur!

Je suis plus d'un compteur de belles étoiles ...

Comme si elles étaient, brillant, diamants!

 

Je vis toujours admirer la perle dans le clair de lune,

Quant à moi, la lune était un barbe à papa,

Le moi de rappeler de l'amour jusqu'à présent de l'amour,

Dès l'enfance, j'ai vécu et que les deux sont de bons souvenirs

Cette même que le jour pour la première fois

Du rêve Valse lambuzei et j'en ai mangé ...

 

Chocolat! C'était un cadeau de mon père,

Après que la machine coupe de cheveux "Marine"!

Je me souviens que la main protectrice de mon Père,

Où mon cœur, mes mains et je me suis réchauffé!

 

Vu dans ce plomb argentifère du papier de couleur

Un défilé de la vie du rêveur "grand peuple"

Reflété dans les dessins de Dream Waltz du couple,

Dancing in partitions musicales, l'odeur du pain

De pains sucrés, beaucoup, beaucoup douces, des masses de nombreux

Boulangerie rempli d'amour pour moi, et la barbe à papa!

 

Donc beaucoup de souvenirs qui ne sera jamais oublier ...

Pour que profonde, très profonde, j'ai toujours aimé!

Parce qu'ils ne sont pas, super-héros, jusqu'à aujourd'hui,

Mes amis, mon Père et le Christ sont mes sources

Forces inspiration et de motivation que j'ai construit!

Si l'on a été inspiré à me faire (Par Dieu, l'atome-germe)

L'autre, le sperme et l'amour pur, je incarné (Living In ...)

Et à la fois me suis consacré, parce que je suis très, très bénie!