Caminho pelas Estrelas Follow by Email

sábado, 23 de dezembro de 2017

REPUBLICANDO ARTIGO: NATAL DE 2014 Autor: Odenir Ferro










Artigo: NATAL DE 2014

Autor: Odenir Ferro

O Autor é Escritor, Poeta, Embaixador Universal da Paz! Título Concedido pelo Cercle Universel des Ambassadeurs de La Paix Suisse/France.

Autor de vários livros, dentre eles, Às Meninas que sonham (Pétalas d’água) e o prosa poético Caleidoscópio Interior, publicados pela: http://www.livrariacultura.com.br/p/caleidoscopio-interior-42155502# 

e http://livrariacultura.com.br/p/as-meninas-que-sonham-petalas-dagua-29535435




http://www.livrariacultura.com.br/p/caleidoscopio-interior-42155502# 


e http://livrariacultura.com.br/p/as-meninas-que-sonham-petalas-dagua-29535435








Como deveríamos nos comedir, dentro de mais e mais enleios materiais – já tão fartos em nossos convívios sociais – que não saberíamos nem ao menos, através deles, redescobrirmo-nos, quanto ser tão humanos emocionais que somos...!

Neste Natal, devemos pedir o que, ao mitigo Papai Noel? “Que ele nos conceda as bem-aventuranças de nos reencontrarmos com o Grande Mestre Jesus Cristo?!”

“Quais são as pessoas humanas – que na atualidade –, estão vivenciando, experimentando e até criando, num crescimento exponencial os reais valores virtuais, e, verdadeiros – dentro dos exemplos deixados na Historia da Humanidade – pelo nosso Grande Mestre Jesus Cristo?”

“Nós estaríamos prontos para comemorar os Festejos Natalinos em mais este final de ano”?

 – Mas, estaríamos realmente aptos, para – em mais este ano –, ao de novo consagrá-Lo em nossas vidas, dentro dos nossos mais profundos sentimentos, dentro da alma do nosso coração, para aceitar a plenitude finita da nossa presença física aqui no planeta, enquanto nos estagiamos para avançarmos rumo à plenitude da Eternidade – que Ele, em sua sabedoria e benevolência creditou a todos nós?!”

Enquanto ele meditava, o dia vinha clareando. Final de madrugada, primeiro dia do mês de Outubro. No silencio do quarto, ele se pôs a refletir mais, e mais, ainda. E, dentro de muitas conclusões e inconclusos pensamentos sobre a fé, os ensinamentos, a história pessoal de vida – conciliando-se com a História Geral da Humanidade – pode sentir, pensar, intuir, sobre Jesus... E eu posso lhes dizer que:

“Ele pensou profundamente no quanto o Mestre Jesus o ampara. Dentro da sua atualidade existencial. Mas também soube discernir dentro de si, a dolorosa potencialidade de sentir e ressentir, sobre o quanto a Humanidade está se flagelando, corrompendo-se e vivendo em meios supérfluos de encantamentos proporcionados por inumeráveis tipos de vícios e artifícios. Cujos preços, em todos os átimos de momentos que se passam, estão ficando mais e mais, a cada vez mais, caros, fatídicos, trágicos... A incompreensão e a falta de respeito pelo nosso próximo estão estampadas nos reflexos e nos preâmbulos dos mais íntimos âmagos da nossa alma...!”

Quando ouviu um barulho, ele se levantou, saindo repentinamente, do seu transe meditativo. E, logo em seguida, foi até a entrada da casa. Instintivo, logo percebeu ser o barulho da motocicleta do entregador de jornais.

“E em meio a tudo isto, o que dizermos do Amor que deveríamos nutrir pelo nosso grande Mestre Jesus?”

“O que dizermos sobre os laços fraternais, ou, sobre os valores pessoais mais íntimos – aqueles que se constituem dentro do nosso amor próprio?” Prosseguiam nos diálogos espirituais que os Anjos, invisíveis para ele, mas presentes aos seus envolvimentos literários continuavam freneticamente, a dialogarem entre si. E ele, compenetrado como estava, enquanto se dirigia até a porta principal da casa, conseguia – em forma de intuição e de motivada inspiração – captar alguns relances desta conversa espiritual. Pois que estava, e muito, sintonizado com a magia do universo ao seu redor.

Abriu a porta com cuidado. Recolheu o jornal. E deixou-o do seu lado, sobre a impressora, tão logo regressou ao seu quarto. O computador permanecia desligado. O ventilador, também. Já de manhãzinha, podia sentir o calor.

“Ao nota-lo assim, sem que ele nos notasse, pudemos, claramente, percebermos, no quanto ele estava apreensivo e decepcionado com tudo. Ou quase tudo, ao que se referisse aos assuntos da Humanidade. E assim, prosseguia ele, enquanto deixava a câmera de filmagem ligada. De vez em quando ele olhava para o monitor, para se certificar de que tudo estava sendo registrado. Ele tinha por hábito, gravar a sua imagem, e depois verbalizar os seus pensamentos... Registrados... Pondo entonação teatral aos seus sentimentos. E depois de analisar o material, transformá-lo em literatura poética.”

Foi desta forma, que compulsivamente, ele escreveu a Mensagem de Natal, que nós como, colaboradores Universais, “assopramos” dentro da sua alma, tornando o seu espirito mais envolvente com as dimensões paranormais deste mundo em que todos nós, homens, anjos, e todos os reinos animais e vegetais, espirituais ou não, vivemos...

Querido Papai Noel:

“Sei que através do seu mito universal secular, o senhor está mais próximo de Nosso Senhor Jesus Cristo”. Assim sendo, venho humildemente pedir-te para que nos conceda a graça da sabedoria de podermos em oração, compartilharmos as nossas aflições coletivas, no tocante aos nossos envolvimentos socioculturais. Sinto que estamos vivenciando as comodidades dos benefícios materiais, e estamos ausentes, a cada momento que se passa, dos nossos verdadeiros valores espirituais, valores emocionais... Aqueles valores que nos fazem vibrar de felicidade o nosso coração, pelos nossos gestos mais simples, em relação ao nosso próximo!

Neste Natal, desejo que haja uma conciliação definitiva e harmônica com o Nosso Senhor Jesus Cristo, e contigo, meu querido Papai Noel! Como o senhor é um sábio conselheiro e amigo das crianças, tive a ideia de pedir-lhe, para que lhes ensine o quanto foi, é e será sempre valorosa a Vida e Obra do Nosso Grande Mestre Jesus Cristo, deixada através de inúmeros e sábios ensinamentos, para todos nós, seres humanos habitantes deste Planeta Terra.

“E... Assim sendo, meu querido Papai Noel, estes festejos natalinos, começarão a terem mais e mais, a cada vez mais, graduados valores de intensidades emocionais, espirituais... E, que será, dentro do nosso cotidiano, no ano vindouro, após os festejos, imensa fonte de inspiração de luz, motivando-nos a vivenciarmo-nos todos, como verdadeiros irmãos, dentro desta carismática e feliz realidade que sempre está a motivarmo-nos a seguirmos avante, em frente, sempre de cabeça erguida, enfrentando os enleios da vida. Podendo assim, desta forma, darmos prosseguimento a trajetória da nossa história pessoal, marcando-a com todos os aparatos divinais que a verdadeira sabedoria das palavras deixadas pelo nosso grande mestre Jesus Cristo, ainda sobrevive dentro das fagulhas dilacerantes do amor de cada um de nós, indo de encontro da luz, da esperança, do amor profundo e verdadeiro que porventura pudermos compartilhar com os nossos irmãos!”

Grande abraço, meu querido Papi Noel!

Ps.: Espero, amorosamente, a visita em minha casa, do nosso Grande Mestre Jesus! E, é claro, a sua, meu querido e bom velhinho!








Nenhum comentário: