Caminho pelas Estrelas Follow by Email

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Enc: [AssociacaoInternacionaldePoetas] MS representa o Brasil em entidade global que estuda a paz como ciência e busca influenciar as lideranças mundiais



Em Domingo, 1 de Novembro de 2015 22:39, "delasnievedaspet@gmail.com [AssociacaoInternacionaldePoetas]" <AssociacaoInternacionaldePoetas-noreply@yahoogrupos.com.br> escreveu:


 

 

 

alt
 
 
Chapter 10. Peace Axis: Russia-BRICS-Global Community of SPHERONS. World Peace Planetary Leader in the XXI century
.
.
A PAZ COMO CIÊNCIA

MS representa o Brasil em entidade global que estuda a paz como ciência e busca influenciar as lideranças mundiais
                                                                                                     Sandra Luz ( Jornalista )



É do Mato Grosso do Sul a única representante brasileira da GHA (Associação de Harmonia Global), 

que reúne 600 membros em 65 países em um trabalho que já dura dez anos em prol da paz. 

Após uma década de trabalho, a associação apresenta a primeira versão da obra "Ciência pela Paz Global",

que tem entre seus 130 co-autores, a sul-mato-grossense Delasnieve Daspet, da Associação Internacional de Poetas, e membro de várias entidades  internacionais que promovem a cultura pela paz.

Ao lado de Delasnieve, assinam a obra o ex-presidente da Índia, Abdul Kalam; 

o prêmio Nobel da Paz, Mairead Corrigan e o pioneiro de estudos sobre a paz, Johan Galtung. 

A GHA arregimentou um grupo de pacifistas e cientistas para estudar a paz como ciência.

O resultado disso está na influência do pensamento acadêmico. 
A Índia, por exemplo, iniciou um curso  universitário específico para tratar sobre a paz como ciência em nível de licenciatura, mestrado e doutorado, o Word Harmony Institute. 
Agora, o GHA quer levar o pensamento para outros grupos científicos de diferentes países, 
organizando também congressos e concursos abordando a questão. A meta é a criação de uma nova ordem mundial que trate da paz. 
Participar da consolidação de um pensamento inovador que tem como objetivo o estudo da paz como ciência. É   a consolidação democrática em que  grupos científicos de diferentes países, com múltiplas abordagens científicas, que buscarão a  opção para a existência da paz. Um trabalho conjunto por meio da ciência e da cultura.É um trabalho a longo prazo.
Para  Delasnieve Daspet, que há mais de 15 anos  atua em movimentos semelhantes por todo o mundo,  essa ciência  integra o potencial espiritual da humanidade, tranquilidade em todas as  nações, culturas e civilizações, com as técnicas inovadoras apresentadas nos estudos promovidos pelos integrantes deste grupo de cientistas.  A paz, em nosso tempo, é  tão frágil como era há 100 anos - em 1914, como 75 anos atrás - em 1939, antes das duas guerras mundiais, as mais sangrentas do século XX.  A guerra nuclear  é um espectro que ronda a humanidade. E se ela ocorrer será sem precedente em suas vitimas, que serão de bilhões. Isto é, se houver sobrevivente.A guerra tem uma ciência que a orienta - a ciência militar que sempre esteve presente na história humana. 
Agora, como única representante brasileira no grupo, acredita que a "paz, em contraste com a  guerra, não contava com uma ciência que a estudasse, que a fortalecesse, que a tornasse uma consciência social. A compreensão cientifica da paz, somente ela, poderá libertar-nos das ameças de novas guerras. As ferramentas da paz se encontram entre nos, e, cabe aos governantes consolida-las com a  educação para a paz, a cultura da paz, da harmonia inter-religiosa, desarmamento, constituição planetária, democracia, justiça econômica, jornalismo de paz, o direito internacional, a resolução pacífica dos conflitos".
Os 32 cientistas que assinam, como co-autores globais a Ciência  da Paz - oriundos de 13 países, entre os quais Delasnieve Daspet, são os que ajudaram a produzir o estudo a ser apresentado, inicialmente,  aos líderes dos países que integram o Brics ( Brasil,Rússia , Índia , China, África do Sul), além do Cazaquistão e da  Malásia.
Delasnieve destaca que os trabalhos realizados no Brasil - no dia 20 de setembro, na Cidade de Deus, em Campo Grande (MS), o filme realizado  foi enviado a   Leo Semashko, presidente do GHA, e, uma cópia  foi entregue por ele, ao  Museu Roerich, em São Petersburgo. O poema lido na época integrará o livro a ser lançado pela Academia Internacional da Paz Mundial que Delasnieve passa, agora, a integrar.
Para Leo Semashko,  encarar a paz como ciência vai influenciar diretamente na forma de pensar dos principais líderes mundiais e o comportamento  será reproduzido pelas demais nações. O exemplo mais recente foi do presidente russo, 
Vladimir Putin, que reproduziu o pensamento do alemão Albert Einstein: "vamos exigir uma maneira substancialmente nova de pensar se a humanidade sobreviver". 

A frase está grafada no livro da GHA, que foi enviado a Putin antes da Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas), em setembro último.

Semashko afirma que quer acreditar que as muitas mensagens enviadas pela organização tenham influenciado no discurso do líder russo.
.
 Assinam o estudo cientifico:
1. Leo Semashko, presidente da GHA, editor,filósofo e sociólogo - Russia
2. Julia Budnikova,  especialista em pesquisa - Russia
3. Yuri Ztimbalist - engenheiro e escritor - Russia
4. Subhash Chandra, educadora - Índia
5. Surendra Pathak, linguista - Índia
6. Narayanam N. Murthy, pesquisadora - Índia
7. Delasnieve Daspet, pacifista e escritora, Brasil
8. Mairead Maguire, Nobel Peace Prize (1976), Prêmio Nobel - Irlanda
9. Stephen Mennell, professor Emérito da Universidade de Dublin, sociólogo - Irlanda
10. Johan Galtung, professor de Estudos da Paz, sociólogo - Alemanha
11. Uraz Baimuratov, economista - Cazaquistão
12. Roger Kotila, psicólogo - EUA
13. Rudolf J. Siebert, professor de religião e sociedade - EUA
14. Kurt Johnson, biólogo - EUA
15. Francois Houtart, sociólogo - Bélgica
16. Ayo Ayoola-Amale, representante da GHA para a África - Gana
17. Heli Habyarimana, linguista - Ruanda
18. Robert J. Burrowes, pesquisador sobre violência, sociólogo - Austrália
19. Gopala Krishnan, historiador - Malásia
20. Bishnu Pathak, cientista político - Nepal
21. Charles Mercieca, historiador - EUA
22. Kanakmal Dugar, pesquisador - Índia
23. A.K. Merchant, pesquisador da Índia
24. Subhash Sharma, economista - Índia
25. Norman Kurland, economista - EUA
26. Justo BolekiaBoleka, professor de estudos franceses - Espanha
27. Reimon Bachika, sociólogo - Japão
28. Ernesto Kahan, físico - Israel
29. TakisIoannides,escritor - Grécia
30. Chinta M. Yogi, professor - Nepal
31. Adolf Shvedchikov, escritor - Russia
32. Guy Crequie, pacifista e escritor - França


Leia em:
http://peacefromharmony.org/?cat=en_c&key=609
http://peacefromharmony.org/
http://peacefromharmony.org/?cat=en_c&key=624
.
Delasnieve Daspet
- Lawyer, Poet, Writer,  Speaker, Ambassador of Peace, Activist Peace and Culture of Peace, Human Rights, Environment, Social, Global Citizen - ID number 078 - ( Brazil ) .
@Delasnieve
Campo Grande-MS-BR
 
 
__._,_.___

Enviado por: <delasnievedaspet@gmail.com>
Responder através da web através de email Adicionar um novo tópico Mensagens neste tópico (1)

.

__,_._,___