Caminho pelas Estrelas Follow by Email

terça-feira, 7 de maio de 2013

Enc: Revista Biografia


----- Mensagem encaminhada -----
De: Revista Biografia 
Para: daufen bach
Enviadas: Terça-feira, 7 de Maio de 2013 8:19
Assunto: Revista Biografia

st1\:*{behavior:url(#ieooui) } "Asu Mare", drama de la pequeña burguesía peruana Por Humberto Pinedo Mendoza/ Raúl Allain Asu Mare: la película, comedia peruana, también podría denominarse drama de la pequeña burguesía peruana. Es decir, referente a una clase social que es llamada entre ellos "criolla", pero que denominaríamos acriollada propia al estilo que discursa su época y que solo posee límites en sus ambiciones y frustraciones. Así podemos evocar a los personajes de Julio Ramón Ribeyro en Los geniecillos dominicales donde se nos muestra personajes que al salir del colegio terminan de vendedores de baratijas o de pomadas "nuggets", sin ningún futuro....
st1\:*{behavior:url(#ieooui) } Bastidores Literários - Machado de Assis por Claudio Parreira Memórias Póstumas de Brás Cubas ainda é, sem dúvida, uma das obras fundamentais da literatura brasileira. Mas nem tudo foram elogios à época do seu lançamento, em 1881: depois de certa relutância por parte da Typographia Nacional (que temia que um folhetim viesse a fazer algum sucesso — além de problemas por causa do tom cáustico utilizado pelo autor), vários escritores maiores e menores desceram a bota no romance, que achavam ousadinho demais para os padrões caretas da época, e não foram poucos aqueles que, trocadilhescamente, sepultaram o romance que mal havia nascido.  A tudo isso...
MUSAS DA FONTINHA Que musas inspiram um processo de reabilitação urbana que não implica edifícios nem construção e que vive desde há poucos meses no miolo de um quarteirão central do Porto? Sem esse sopro vivo de inspiração, ali na Fontinha, um dos pontos mais altos da cidade do Porto, com belas vistas escondidas pelo abandono e esquecimento, seria difícil imaginar a Quinta das Musas. E a poesia é concreta, trata-se de trabalho que devolve produtividade agrícola a quintais e hortas que ressurgem, dia a dia, trabalho voluntário de gente muito diversa— unida por um projecto que faz agricultura e promove comunidade. Entre o Bonjardim (rua antiga e prestigiosa por onde se entra para a Quinta)...
Sujou – ...o meu marido! – Que saco! Lá vem você de novo falando dele... – Tá bom, meu chuchuzinho, se você quiser eu não falo, mas se não for um ladrão, então eu acho que é ele... meu marido, abrindo a porta da frente! Escuta só... – Meu Deus, tomara que seja um ladrão! – ainda nu, tremendo de medo, o Jonja se agarrou a mulher do homem que agora chamava sua esposa. – Marinalva? Você está aí? – Ecoou a voz vinda lá de baixo. – Amoreco, algum ladrão te conhece pelo nome? – procurando agora a cueca perdida entre os lençóis revirados. – Marinalva? – insistia o marido traído. – Ai ai ai, chuchuzinho... nós dois... eu sabia... – sussurrou apavorada – Eu te disse que não ia dar...
Manifesto do Futuro – Chamas ardentes da Alma Tanto tempo sem poder me comunicar… Tudo por causa de uma tristeza que havia fincado raiz dentro do meu coração. As chamas ardentes da minha alma tinham – se transformado em sangue corroído de esperança. Sinto-me tão perdida… Quando adormeço vejo um olhar frio me analisando, olhos petrificados de dor. Minhas lembranças ruins estão congeladas em meu corpo, na expectativa de suprir com o tempo. Nessa época ouço a trilha sonora da saudade, da lágrima pesada, da incredulidade. Não quero escrever, mas tenho a necessidade nevoenta de expor para provar o que esta aqui dentro, escrevo de vários formas, com várias emoções e com muitos sabores....
MEU QUERIDO CANALHA Não há mais canalhas como antigamente. Essa constatação elementar não é fruto do saudosismo. Tampouco serve de alívio. Por diversas razões – nenhuma delas digna de mérito – o romantismo se tornou decadente e saiu de moda. O refinamento, a criatividade e a sutileza não mais constituem elementos valorizados pela modernidade. Assumiu o  proscênio desse teatro pouco crível que chamamos de vida a selvageria, a grosseria, a inconveniência e a maldade (de acordo com as regras mais elementares do realismo).  Segundo o dicionário Aurelião, canalha é sinônimo de vil, reles, infame, velhaco. São bons adjetivos. Quase invejáveis. Embora não sirvam para explicar que...
O HOBBIT, DE J.R.R. TOLKIEN Antes de adentrarmos especificamente nas nossas opiniões sobre o livro, convém salientar que a sua história antecede à do Senhor dos Anéis.  Neste livro, o hobbit Bilbo Bolseiro vivia uma vida confortável e pacata no Condado. Assim como todos os hobbits, ele era frágil, gentil, gostava de fumar, de comer, de organizar festas e receber amigos. Porém, também era implicante e não gostava de surpresas ou visitas inesperadas. Sua vida mudou forma considerável no dia em que recebeu a visita do mago Gandalf, que o convidou para viver uma aventura. Ele, fazendo jus à natureza dos hobbit, rejeitou o convite.  No entanto, no dia seguinte, foi surpreendido...
Ninguém escreve sobre amor como Gabo    por Stella Florence Um homem comum, quando sai com uma mulher que lhe interessa pouco e ela começa a aborrecê-lo com o transbordar de uma paixão unilateral, esse homem bufa sem cuidado e dá uma desculpa vulgar para toureá-la. Já um gênio da literatura, movido pela mesma cena, escreve: "Se tu me amas, ama-me baixinho. Não o grites de cima dos telhados, deixa em paz os passarinhos, deixa em paz a mim!". Mario Quintana é um desses gênios e, como muitos outros, vem sendo vítima da internet: incontáveis textos assinados pelo poeta pululam pela rede sem qualquer certificado de autenticidade. Uma turma de formandos teve o bom gosto de escolher Luis...