Caminho pelas Estrelas Follow by Email

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Poema: SÃO PAULO NUM CARTÃO POSTAL, Autor: Odenir Ferro





Poema: SÃO PAULO NUM CARTÃO POSTAL

Autor: Odenir Ferro



Através dos olhos reflexivos da minh'alma,

Fotografo nas memórias as cenas invasoras

Resplandescentes do brilho da tua história

Construída pelo labor da viva miscigenação

De todas as raças que vivem nos dias de hoje,

Recontando seus antepassados nas reprisadas

Histórias vividas, numa nova realidade, mas

Num mesmo ideário sentido por tanto te amarem

Ao te fazerem merecedora de ser, entre todas,

A maior megalópole de toda a América Latina!



Vejo caindo do ar, rebrilhos floreados

Pela união dos opalados raios solares,

Com esmiuçadas garoas, num pálido sol,

E penso: "Anchieta foi muito amável

Ao te intuir, fundando no teu solo

O legendário Colégio e iniciar

Tua vida."



Dali em diante, vieste a crescer

Até os dias de hoje e, definitivamente,

És o real ideário coletivo de um enorme

Pólo turbilhão dos aglomerados agitados

Seres que vivem o vai-e-vem desenfreado

Como se fossem uma bela afável colméia!



Alamedas, Avenidas e Ruas concentras

Num enorme Cartão Postal, onde desenhas

As raízes agitadas da tua nobre emoção!

Pessoas humanas labutam o dia-a-dia,

Nos fracassos, conquistas e sucessos,

Das batalhas feitas a passos rápidos,

Nos compassos dos ritmos acelerados

Onde pulsam as horas que se agitam

Nos milhões de emoções de corações

Pulsando a mesma sintonia emotiva,

Da sinfonia de múltiplas canções.



A lua cheia ilumina o happy hour!

Flins de tarde têm melancólicos pôr do sol!

São Paulo de outrora, como agora, tua história

Te faz eternamente no teu hoje tão presente!



Terra amada, envolvente, és a maior

Rica cidade deste belo Continente

Por acolheres num amor ardente,

Filhos do Brasil resplandecente.



Tu és a cidade das volúpías emergentes

És consagrada por enormes arranha-céus

Assim é que é possível na memória te clicar

Como sendo uma das mais belas cidades agitadas

Impulsionando os sonhos dos que vivem a te amar!