Caminho pelas Estrelas Follow by Email

quinta-feira, 7 de janeiro de 2021

Fw: Y de repente... Et soudain...And suddenly... E improvvisamente...E de repente ... И вдруг жизнь...



----- Mensagem encaminhada -----
De: Gabrielle Simond 
Enviado: quinta-feira, 7 de janeiro de 2021 05:52:44 BRT
Assunto: Fwd: Y de repente... Et soudain...And suddenly... E improvvisamente...E de repente ... И вдруг жизнь...


de notre ambassadrice Eunate Virginia Goikoetxea Espagne
votre indulgence pour les traductions merci !


Y de repente la vida te pone a prueba ; de un dia para otro te encuentras encerrada en casa viendo como tu vida cambia de una forma radical, y te das cuenta de lo vulnerables que somos...Después de 10 días de confinamiento,comienzas a dar valor a todas esas cosas que hasta hace poco teníamos al alcance de la mano y no las dabamos importancia... ahora conocemos a nuestros vecinos, esos que durante el día vemos en las terrazas,con sus familias e inclusive solos, que cantan, que tocan un instrumento,que cuentan chistes, que te preguntan si necesitas algo, ya los conocemos por su nombre, cuando antes apenas intercambiamos un saludo con ellos, y con los que todos los días acudimos a esa cita que tenemos a las ocho de la tarde para juntos aplaudir a todos esos héroes que hay en este país.
Van pasando los días y es cuando comienzas a echar en falta, los abrazos de los tuyos, de tus amigos, ese cafecito en la calle, la charla con los amigos y compañeros ,la sonrisa de un niño, el bullicio de la calle, el poder pasear por la playa..el ser libres para entrar y salir, y es cuando somos conscientes de nuestra vulnerabilidad. Vemos cómo tiemblan los cimientos de la sociedad, como familiares y amigos son despedidos de sus trabajos y el temor se apodera de nosotros y nos crea impotencia por no poder ayudar ; cuando salimos a comprar vemos a la gente triste y apagada y podemos sentir el miedo y la preocupación en el aire y te preguntas ¿cómo puede acabar esto,? ..y es cuando te das cuenta que uno solo no puede hacer nada , que nos necesitamos , que tenemos que ser solidarios ; sabemos que todos juntos lo lograremos, porque ahora es cuando debemos de ir todos de la mano, demostrando que venceremos quedándonos todos en casa cumpliendo las normas., porque solo se llega más rápido, pero juntos llegaremos más lejos
*************************************************************************************************************************************

Et soudain, la vie vous met à l'épreuve; du jour au lendemain, vous vous retrouvez enfermé à la maison en regardant votre vie changer radicalement, et vous vous rendez compte à quel point nous sommes vulnérables ... Après 10 jours de détention, vous commencez à apprécier toutes ces choses qui jusqu'à Nous avions peu à portée de main et nous ne leur donnions pas d'importance ... maintenant nous connaissons nos voisins, ceux que nous voyons sur les terrasses pendant la journée, avec leurs familles et même seuls, qui chantent, qui jouent d'un instrument, qui racontent des blagues, Ils vous demandent si vous avez besoin de quelque chose, nous les connaissons déjà par leur nom, alors qu'avant nous avons à peine échangé des salutations avec eux, et avec qui nous nous rendons à ce rendez-vous tous les jours que nous avons à huit heures de l'après-midi pour applaudir tous ces héros qui il y a dans ce pays.
Les jours passent et c'est quand vous commencez à manquer, vos câlins, vos amis, ce petit café dans la rue, la conversation avec vos amis et collègues, le sourire d'un enfant, l'agitation de la rue, le pouvoir marcher sur la plage ... être libre d'entrer et de sortir, et c'est là que nous sommes conscients de notre vulnérabilité. Nous voyons comment les fondements de la société tremblent, car la famille et les amis sont licenciés de leur travail et la peur nous envahit et crée l'impuissance pour ne pas pouvoir aider; quand nous sortons pour faire du shopping, nous voyons des gens tristes et ternes et nous pouvons sentir la peur et l'inquiétude dans l'air et vous vous demandez comment cela peut-il se terminer? ..et c'est lorsque vous réalisez que vous seul ne pouvez rien faire, que nous avons besoin les uns des autres, que nous devons être solidaires; Nous savons qu'ensemble nous y parviendrons, car c'est maintenant que nous devons tous aller de pair, montrer que nous gagnerons en restant tous à la maison, en respectant les règles, car nous n'y arriverons plus vite, mais ensemble nous irons plus loin.
*************************************************************************************************************************

And suddenly life puts you to the test; overnight, you find yourself locked in the house watching your life change radically, and you realize how vulnerable we are ... After 10 days of detention, you begin to appreciate all these things which until We had little at hand and we did not give them importance ... now we know our neighbors, those we see on the terraces during the day, with their families and even alone, who sing, who play an instrument, who tell jokes, They ask you if you need something, we already know them by name, whereas before we barely exchanged greetings with them, and with whom we go to this meeting you every day that we have at eight o'clock in the afternoon to applaud all these heroes that there are in this country.
The days pass and it's when you start to miss, your hugs, your friends, this little cafe on the street, the conversation with your friends and colleagues, the smile of a child, the excitement of the street, the power walking on the beach ... being free to go in and out, and that's where we realize our vulnerability. We see how the foundations of society are shaking, as family and friends are laid off from work and fear overwhelms us and creates helplessness for not being able to help; when we go out for shopping we see sad and dull people and we can feel fear and worry in the air and you wonder how it can end? ..and it is when you realize that only you can do nothing, that we need each other, that we must be united; We know that together we will get there, because it is now that we must all go together, show that we will win by all staying at home, respecting the rules, because we will get there faster, but together we will go further.
*************************************************************************************************************************

E improvvisamente la vita ti mette alla prova; durante la notte, ti ritrovi chiuso in casa a guardare la tua vita cambiare radicalmente e ti rendi conto di quanto siamo vulnerabili ... Dopo 10 giorni di detenzione, inizi ad apprezzare tutte queste cose che fino a Avevamo poco a portata di mano e non abbiamo dato loro importanza ... ora conosciamo i nostri vicini, quelli che vediamo sulle terrazze durante il giorno, con le loro famiglie e anche da soli, che cantano, che suonano uno strumento, che raccontano barzellette, ti chiedono se hai bisogno di qualcosa, li conosciamo già per nome, mentre prima ci scambiavamo a malapena i saluti con loro e con i quali andiamo a questo incontro ogni giorno che abbiamo alle otto del pomeriggio per applaudire tutti questi eroi che ci sono in questo paese.
I giorni passano ed è quando inizi a perdere, i tuoi abbracci, i tuoi amici, questo piccolo caffè sulla strada, la conversazione con i tuoi amici e colleghi, il sorriso di un bambino, l'eccitazione della strada, il potere camminando sulla spiaggia ... essendo liberi di entrare e uscire, ed è lì che ci rendiamo conto della nostra vulnerabilità. Vediamo come le basi della società stanno tremando, mentre la famiglia e gli amici sono allontanati dal lavoro e la paura ci travolge e crea impotenza per non essere in grado di aiutare; quando usciamo a fare shopping vediamo persone tristi e noiose e possiamo sentire paura e preoccupazione nell'aria e ti chiedi come può finire? ..e è quando ti rendi conto che solo tu non puoi fare nulla, che abbiamo bisogno l'uno dell'altro, che dobbiamo essere uniti; Sappiamo che insieme ci arriveremo, perché è ora che dobbiamo andare tutti insieme, dimostrando che vinceremo rimanendo tutti a casa, rispettando le regole, perché ci arriveremo più velocemente, ma insieme andrà oltre.
***************************************************************************************************************************

E de repente a vida coloca você à prova; da noite para o dia, você se vê trancado em casa vendo sua vida mudar radicalmente e percebe como somos vulneráveis ​​... Após 10 dias de detenção, você começa a apreciar todas essas coisas que até Tínhamos pouco em mãos e não lhes demos importância ... agora conhecemos nossos vizinhos, aqueles que vemos nos terraços durante o dia, com suas famílias e até sozinhos, que cantam, que tocam um instrumento, que conta piadas, Eles perguntam se você precisa de algo, já os conhecemos pelo nome, enquanto antes mal trocávamos cumprimentos com eles e com quem vamos a esta reunião você todos os dias que temos às oito horas da tarde para aplaudir todos esses heróis que existem neste país.
Os dias passam e é quando você começa a sentir falta, seus abraços, seus amigos, este pequeno café na rua, a conversa com seus amigos e colegas, o sorriso de uma criança, a agitação da rua, o poder andando na praia ... sendo livre para entrar e sair, e é aí que percebemos nossa vulnerabilidade. Vemos como os fundamentos da sociedade estão tremendo, à medida que a família e os amigos são demitidos do trabalho e o medo nos domina e cria desamparo por não poder ajudar; quando saímos para fazer compras, vemos pessoas tristes e sem graça e podemos sentir medo e preocupação no ar e você se pergunta como isso pode acabar? ..e é quando você percebe que somente você não pode fazer nada, que precisamos um do outro, que devemos estar unidos; Sabemos que juntos chegaremos lá, porque é agora que todos devemos ir juntos, mostrar que venceremos ficando todos em casa, respeitando as regras, porque chegaremos mais rápido, mas juntos vai além.
******************************************************************************************************************************************************
И вдруг жизнь подвергает вас испытанию; в одночасье вы оказались заперты в доме, наблюдая, как ваша жизнь радикально меняется, и вы понимаете, насколько мы уязвимы ... После 10 дней заключения вы начинаете ценить все эти вещи, которые до У нас было мало под рукой, и мы не придавали им значения ... теперь мы знаем наших соседей, тех, кого мы видим на террасах днем, с их семьями и даже в одиночку, которые поют, кто играют инструмент, который рассказывает анекдоты, они спрашивают вас, нужно ли вам что-то, мы уже знаем их по имени, тогда как до того, как мы едва обменялись приветствиями с ними, и с кем мы идем на эту встречу Вы каждый день, который у нас есть в восемь часов дня, чтобы приветствовать всех этих героев, которые есть в этой стране.
Проходят дни, и это когда ты начинаешь скучать, твои объятия, твои друзья, это маленькое кафе на улице, разговор с друзьями и коллегами, улыбка ребенка, волнение на улице, сила гулять по пляжу ... быть свободным входить и выходить, и вот где мы осознаем нашу уязвимость. Мы видим, как трясутся основы общества, так как семья и друзья увольняются с работы, и страх переполняет нас и создает беспомощность из-за неспособности помочь; когда мы идем за покупками, мы видим грустных и скучных людей, мы можем чувствовать страх и беспокойство в воздухе, и вы задаетесь вопросом, чем это может закончиться? ... и когда вы понимаете, что только вы ничего не можете сделать, мы нуждаемся друг в друге, мы должны быть едины; Мы знаем, что вместе мы доберемся туда, потому что именно сейчас мы все должны идти вместе, показать, что мы победим, оставаясь дома, соблюдая правила, потому что мы доберемся быстрее, но вместе мы пойдем дальше.
**********************************************************************************************

terça-feira, 5 de janeiro de 2021

VID 20201231 143849292

Odenir Ferro, Escritor, Poeta, Produtor Musical da Dupla Sertaneja MATHEUS HENRIQUE&MICHELL, Embaixador Universal da Paz! Embajador del idioma Espanõl em mi país em el mundo, Fundacíon César Egido Serrano. Comendador nomeado pela Associação Brasileira de Liderança Instituto Brasil Líderes, https://youtu.be/jdALD8v-sCc Acadêmico Oficial da Ordem do Mérito Litteratudo, nomeado pela Academia Internacional da União Cultural Autor do Livro de Poemas Falando de Anjos  Amazon.com: FALANDO DE ANJOS (Portuguese Edition) (9781070704777): FERRO, ODENIR: Books  Nino Chaninho, O Gatinho Amazon.com: NINO CHANINO: The Little Cat (9798686322783): Ferro, Sr Odenir: Books

domingo, 3 de janeiro de 2021

Fw: B Olhar de Criança Regard d'enfant Child look Mirada de niño Aspetto da bambino Детский взгляд



----- Mensagem encaminhada -----
De: Gabrielle Simond 
Enviado: domingo, 3 de janeiro de 2021 06:48:24 BRT
Assunto: Fwd: B Olhar de Criança Regard d'enfant Child look Mirada de niño Aspetto da bambino Детский взгляд

de notre ambassadeur  Jorge Wolnei Gomes Bresil

votre indulgence pour les traductions merci !

                             Olhar de Criança

Criança os seus olhos são a pátria oSol da esperança,

amor que fala  sem vento, mar sem ondas,

desejos de latentes, douradas  esperanças  adormecidas,

pedras preciosas  ímpios como a verdade,

primavera do mundo flores que iluminam a terra

futuros pássaros desejosos de liberdade, olhos em direção a Luz,

berço  de sementes férteis  do mundo,

Nutrida de valores crescealimentada pela verdade,

espelhos deste mundo,  chora alegra-se com naturalidade e pureza,

no seu silencioso mundo traz a coragem  a força da vida ,

universo que se levanta ,trazendo a mensagem dos anjos.


Regard  d'enfant

Enfant tes yeux sont la patrie o Soleil d'espoir,
l'amour qui parle sans vent, mer sans vagues,
désirs latents, espoirs dorés endormis,
pierres précieuses méchantes comme la vérité,
fleurs printanières du monde qui illuminent la terre
futurs oiseaux désireux de liberté, les yeux vers la Lumière,
berceau des graines fertiles dans le monde,
Nourri de valeurs alimentées par la vérité,
miroirs de ce monde, pleure avec naturel et pureté,
dans ton monde silencieux apporte le courage la force de vie
univers naissant, porteur du message des anges.

              Child look

Child your eyes are the homeland o Sun of hope,
love that speaks without wind, sea without waves,
latent desires, sleeping golden hopes,
gems wicked like the truth,
spring flowers of the world that light up the earth
future birds eager for freedom, eyes towards the Light,
birthplace of fertile seeds in the world,
Nourished by values fueled by truth,
mirrors of this world, weep with naturalness and purity,
in your silent world bring courage the life force
nascent universe, carrier of the message of the angels.

 Mirada de niño

Niño, tus ojos son la patria o Sol de esperanza,
amor que habla sin viento, mar sin olas,
deseos latentes, esperanzas doradas dormidas,
gemas malvadas como la verdad,
flores primaverales del mundo que iluminan la tierra
futuros pájaros ávidos de libertad, ojos hacia la Luz,
lugar de nacimiento de semillas fértiles en el mundo,
Alimentado por valores alimentados por la verdad,
espejos de este mundo, llora con naturalidad y pureza,
en tu mundo silencioso trae coraje la fuerza vital
universo naciente, portador del mensaje de los ángeles.


              Aspetto da bambino

Bambina i tuoi occhi sono la patria o Sole della speranza,
amore che parla senza vento, mare senza onde,
desideri latenti, speranze dorate addormentate,
gemme malvagie come la verità,
fiori primaverili del mondo che illuminano la terra
futuri uccelli desiderosi di libertà, occhi verso la Luce,
luogo di nascita di semi fertili nel mondo,
Nutrita di valori alimentati dalla verità,
specchi di questo mondo, piangi con naturalezza e purezza,
nel tuo mondo silenzioso porta coraggio la forza vitale
universo nascente, portatore del messaggio degli angeli.

Детский взгляд

Дитя твои глаза - родина Солнца надежды,
любовь, говорящая без ветра, море без волн,
Скрытые желания, спящие золотые надежды,
драгоценные камни злые, как правда,
весенние цветы мира, освещающие землю
будущие птицы жаждут свободы, взоры к Свету,
место зарождения плодородных семян в мире,
Питается ценностями, питаемыми истиной,
зеркала этого мира плачут от естественности и чистоты,
в своем безмолвном мире ободритесь жизненной силой
зарождающаяся вселенная, несущая послание ангелов.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

Fw: NOEL Si j'étais le Père Noël...If I were Santa Claus ...Si yo fuera Santa Claus ...Se fossi Babbo Natale ...Se eu fosse o Papai Noel ...



----- Mensagem encaminhada -----
De: Gabrielle Simond
Enviado: quarta-feira, 23 de dezembro de 2020 05:43:02 BRT
Assunto: Fwd: NOEL Si j'étais le Père Noël...If I were Santa Claus ...Si yo fuera Santa Claus ...Se fossi Babbo Natale ...Se eu fosse o Papai Noel ...


 

de notre ambassadeur Alain Million France

votre indulgence pour les traductions merci !


Si j'étais le Père Noël...

Si j'étais le père Noël
Croirais-tu en cette histoire
Quand tu regardes le soir
Ombre douce et solitaire
Le ciel bleuté de tes espoirs


Croirais-tu mon enfant
De la terre à la mer
Imaginer de vertes forêts
De pins de cèdres et d'oliviers
Nids d'amour et de douceur
Colombes blanches et cygnes noirs
Amoureux dans leurs silences
De mille baisers évaporés
Près d'un feu antiviolence


Croirais-tu mon enfant
Oser chanter la liberté
A ces enfants meurtris
De tant de peine
Délaissés oubliés
Qui traînent leurs souliers
Sur les chemins
Des cœurs blessés


Croirais-tu mon enfant
Que si j'étais le père Noël
Sans habit rouge ni longue barbe
Tout simplement avec mon cœur
Crier aux anges et aux étoiles
Du pain pour la faim
De l'eau pour les champs
Du soleil pour le blé
Un sourire au malade
Une main tendue au réfugié
Terre d'enfance sans violence
Terre unie d'espérance


C'est mon rêve et ma prière
Pour les enfants de la Terre

Si j'étais le père Noël…



If I were Santa Claus ...

If I were Santa Claus
Would you believe this story
When you watch the evening
Soft and lonely shadow
The blue sky of your hopes

Would you believe my child
From land to sea
Imagine green forests
Cedar pines and olive trees
Nests of love and sweetness
White doves and black swans
Lovers in their silences
Of a thousand evaporated kisses
Near an anti-violence fire

Would you believe my child
Dare to sing about freedom
To these bruised children
Of so much pain
Abandoned forgotten
Who drag their shoes
On the roads
Wounded hearts

Would you believe my child
That if I was Santa Claus
Without a red coat or a long beard
Just with my heart
Cry out to angels and stars
Bread for hunger
Water for the fields
Sun for the wheat
A smile to the sick
A hand extended to the refugee
Childhood land without violence
United land of hope

This is my dream and my prayer
For the children of the earth
If I were Santa Claus ...

Si yo fuera Santa Claus ...

Si yo fuera santa claus
¿Creerías esta historia?
Cuando miras la noche
Sombra suave y solitaria
El cielo azul de tus esperanzas

¿Creerías a mi hijo?
De la tierra al mar
Imagina bosques verdes
Pinos de cedro y olivos
Nidos de amor y dulzura
Palomas blancas y cisnes negros
Amantes en sus silencios
De mil besos evaporados
Cerca de un incendio contra la violencia

¿Creerías a mi hijo?
Atrévete a cantar sobre la libertad
A estos niños magullados
De tanto dolor
Abandonado olvidado
Que arrastran sus zapatos
En las carreteras
Corazones heridos

¿Creerías a mi hijo?
Que si yo fuera santa claus
Sin abrigo rojo ni barba larga
Solo con mi corazon
Grita a los ángeles y las estrellas
Pan para el hambre
Agua para los campos
Sol por el trigo
Una sonrisa a los enfermos
Una mano extendida al refugiado
Tierra de infancia sin violencia
Tierra unida de esperanza

Este es mi sueño y mi oración
Para los hijos de la tierra
Si yo fuera Santa Claus ...

 Se fossi Babbo Natale ...

Se fossi Babbo Natale
Ci crederesti a questa storia
Quando guardi la sera
Ombra morbida e solitaria
Il cielo azzurro delle tue speranze

Crederesti a mio figlio
Dalla terra al mare
Immagina foreste verdi
Pini cedri e ulivi
Nidi d'amore e dolcezza
Colombe bianche e cigni neri
Amanti nei loro silenzi
Di mille baci evaporati
Vicino a un fuoco antiviolenza

Crederesti a mio figlio
Osa cantare della libertà
A questi bambini feriti
Di tanto dolore
Abbandonato dimenticato
Che si trascinano le scarpe
Sulla strada
Cuori feriti

Crederesti a mio figlio
Che se fossi Babbo Natale
Senza un cappotto rosso o una lunga barba
Solo con il mio cuore
Grida agli angeli e alle stelle
Pane per la fame
Acqua per i campi
Sole per il grano
Un sorriso ai malati
Una mano tesa al rifugiato
L'infanzia sbarca senza violenza
Terra unita di speranza

Questo è il mio sogno e la mia preghiera
Per i figli della terra
Se fossi Babbo Natale ...


Se eu fosse o Papai Noel ...

Se eu fosse o papai noel
Você acreditaria nesta história
Quando você assiste a noite
Sombra suave e solitária
O céu azul das suas esperanças

Você acreditaria meu filho
Da terra ao mar
Imagine florestas verdes
Pinheiros cedros e oliveiras
Ninhos de amor e doçura
Pombas brancas e cisnes negros
Amantes em seus silêncios
De mil beijos evaporados
Perto de um incêndio antiviolência

Você acreditaria meu filho
Ouse cantar sobre liberdade
Para essas crianças machucadas
De tanta dor
Abandonado esquecido
Que arrastam os sapatos
Nas estradas
Corações feridos

Você acreditaria meu filho
Que se eu fosse o papai noel
Sem um casaco vermelho ou uma longa barba
Só com meu coração
Clame aos anjos e estrelas
Pão para a fome
Água para os campos
Sol para o trigo
Um sorriso para o doente
Uma mão estendida para o refugiado
Terra de infância sem violência
Terra unida da esperança

Este é meu sonho e minha oração
Para os filhos da terra
Se eu fosse o Papai Noel ...


Если бы я был Дедом Морозом ...

Если бы я был Дедом Морозом
Вы бы поверили этой истории
Когда ты смотришь вечер
Мягкая и одинокая тень
Голубое небо ваших надежд

Вы бы поверили моему ребенку
С суши в море
Представьте себе зеленые леса
Кедровые сосны и оливковые деревья
Гнезда любви и сладости
Белые голуби и черные лебеди
Любители в их тишине
Из тысячи испарившихся поцелуев
Возле костра против насилия

Вы бы поверили моему ребенку
Не бойтесь петь о свободе
Этим детям в синяках
Столько боли
Заброшенный забытый
Кто таскает обувь
На дорогах
Раненые сердца

Вы бы поверили моему ребенку
Что если бы я был Санта-Клаусом
Без красного пальто и длинной бороды
Просто сердцем
Взывайте к ангелам и звездам
Хлеб от голода
Вода для полей
Солнце за пшеницу
Улыбка больным
Рука протянулась к беженцу
Земля детства без насилия
Объединенная земля надежды

Это моя мечта и моя молитва
Для детей земли
Если бы я был Дедом Морозом ...

terça-feira, 22 de dezembro de 2020

Título do Artigo: MESTRE JESUS, sei que Vós Sabeis: A Família Humana está ferida, muito ferida e ressentida... Autor: Odenir Ferro

 





Botticelli ca. 1445 - 1510
The Birth of Christ
temper on canvas (109 x 75 cm) - 1500

Título do Artigo: MESTRE JESUS, sei que Vós Sabeis:

A Família Humana está ferida, muito ferida e ressentida...

Autor: Odenir Ferro

I

Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a Minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele Comigo” (Apocalipse 3:20).

Desde que o homem é homem e foi descobrindo a mulher, e se redescobrindo junto à ela, e, denotando que ela tinha o dom de parir, através da cópula deles... desta forma foi se constituindo o princípio da Humanidade, e, assim sendo – desde as mais remotas Eras existenciais da Humanidade, – os seres humanos sempre caminharam promovendo e fazendo o amor em torno às guerras.

É inumerável a quantidade de sangue derramado injustamente! E o Cordeiro de Deus, com o seu Sangue genuíno veio ao mundo para solucionar essas lancinantes dores universais!

Jesus Cristo tornou-se um divisor de águas entre as incredulidades humanas e a esperança da renovação da Fé Absoluta n’Ele, através dos santíssimos mistérios da Ressurreição anunciada por Ele. Jesus Cristo veio ao mundo para nos conceder a Vida Eterna!

Atualmente estamos vivendo uma “guerra competitiva” entre países, – como se cada país se dispusesse de identidade única, ímpar, exclusiva, perante aos demais países, – gerando uma “Globalidade Estilizada” de tal maneira tão evidente, onde todos nós nos somássemos apenas por estarmos residindo em determinados países, e desta forma não nos englobássemos espiritualmente e humanamente como um todo ímpar. Estamos sendo separados e condicionados a vivermos em classes sociais distintas – seja no sentido étnico, religioso, sexual etc., – mesmo embora, neste ano de 2020 estejamos vivendo uma situação de extrema insegurança no sentido da saúde, pois estamos vivendo mundialmente com uma nefasta pandemia. Mediante a esse caos sociocultural, moral, existencial, no que, ou em que, ou em quem, devemos depositar nossos votos de confiança e extremada fé?

- Na Humanidade, na ideologia, nas crenças e crendices humanas, no abstrato, na imparcialidade que rege as nossas esperanças?! Enfim... para onde nos orientarmos, nos nortearmos com a nossa bússola espiritual?

Eu ainda creio na força indestrutível e inabalável do Amor de Deus por Todos Nós!

Neste “novo normal...?!” dentro dessa “Nova Era” que está surgindo, nós, quanto a seres humanos tementes a Deus, estamos nos “esquecendo” de cultuarmos a espiritualidade e as nossas emoções, para a fé e crença absoluta nos Mistérios da Criação emanados pelo nosso Deus Único, Verdadeiro e Soberano de Tudo e de Todos! Não estamos vivenciando mais aquela mística emocional, onde nos renovamos tanto física quanto espiritualmente, mediante às nossas crenças predispostas, a viajarmos em espírito aos Reinados etéreos do nosso Criador, Deus Pai Todo Poderoso!

Percebo em mim, que não necessito de me concentrar muito, nem mesmo fechar os olhos, ou até tapar os ouvidos com as mãos, para poder sintonizar-me com as evocativas magias dos natais vividos no meu histórico passado, principalmente os natais da minha infância...

– Ah! como era tão bom os meses de dezembro: posso sentir os cheiros dos doces e dos assados, que se faziam nos fogões a lenha, em  qualquer casa  em que ia brincar com meus primos e primas, – ou até mesmo na minha casa, ou na casa da minha avó –, era possível saborear os assados com as narinas, pois o cheiro dos temperos e dos doces e assados, vinham até nós, fosse onde estivéssemos, – sem contar os sons, os ruídos, a sonoridade dos pássaros em fins de primavera, quase já no início do verão, que era tão marcante. No quintal da casa da minha avó Amélia, tinha muitas frutas e muitas flores. A fruta que mais predominava no mês de dezembro eram as mangas.

Na rua da casa da minha avó, – a qual ainda não era asfaltada –, tinha um bar, no quarteirão de baixo: onde o Senhor Luís deixava tocando em último som, a vitrola com os discos de músicas natalinas!

II

A Vida é tão deslumbrante e fantástica, que desde os primórdios das antigas Eras, sempre viemos nos perguntando, – mesmo que intimamente seja, – de que modo, como este fenômeno aconteceu e se sucedeu em variados gêneros e formas visíveis e invisíveis, e pode ter forças para vir se renovando ou se desgastando, mas sempre avante até aos nossos dias atuais?! Como poderíamos encontrar a Eureka do Saber, para elucidarmos este inenarrável acontecimento, senão pela Fé, pelo Amor incondicional de Deus por todos Nós?

Se por um lado podemos notar, – nessa atualidade –, que tanto a natureza no contexto geral assim como a nossa existência humanitária, e também o todo do conjunto biológico existente no planeta Terra, se encontra em risco de uma devastação eminente, por vários motivos de interesses de poderes, aliados às armas tecnológicas altamente destruidoras –, também podemos ter um aconchego de Amor e Fé! Baseando-nos, na esperança que depositamos no genuíno amor, do nosso Mestre Divino Jesus Cristo, por todos nós: habitantes desse ainda tão maravilhoso planeta Terra!

É dezembro, e o ano é 2020. Estamos nos preparando para Celebrar mais um Aniversário de Jesus! Como poderemos Celebrar o nascimento de Jesus, o nosso Salvador? Mediante a tantas angústias, impropérios, desavenças, crimes, enfim, com a Humanidade se corrompendo cada vez mais, mediante aos falsos e enganadores valores que de tão imorais que são, – e estando às avessas, mediante aos conceitos sociais atuais –, acabam se passando por moderadamente morais e dignos...

Estamos vivendo momentos de extremada indignação! Perante os excessos de ousadias de poderes impostos, por alguns segmentos de comandos mundiais – devido aos exageros, denotados e deflagrados, pelos abusos de poderes, escandalosamente demonstrados pelos meios influentes! Estão tentando nos persuadir e nos manipular até: pela, e, através da nossa fé!

Mas o menino Jesus – o qual cresceu, viveu e morreu por nós – se fazendo Rei, ainda prevalece em seu genuíno poder, pois ele é Deus, o Criador de Tudo e de Todos. E é aquele que veio ao mundo para nos redimir dos pecados e nos conduzir aos parâmetros incógnitos da Vida Eterna!

Tanto na nossa atualidade assim como em todas as Eras, os Natais sempre foram celebrados em meios aos conflitos humanos existenciais! A Humanidade sempre viveu entre o Amor e o Ódio – entre a Paz e as Guerras – e é desta forma que viemos sobrevivendo até aqui, – sem nunca deixarmos de perder as crenças e as esperanças em Jesus, como sendo o nosso mestre divino e salvador! E assim sendo, vamos mantendo as chamas acesas desse ardor vibracional que faz com que sigamos em frente, amparando-nos uns aos outros, quando podemos, ou quando não, vamos caminhando na vida, através da nossa trilha espiritual feita de solidão, muito embora protegida e amplamente amparada pelos nossos bons Anjos Guardiões; os quais, vão nos orientando na existência, para que possamos alcançar a tão almejada plenitude da paz e do amor, que nosso divino mestre Jesus Cristo, nos prometeu quando pereceu na Cruz do Calvário.

Este crucial ano de 2020 ficou marcado por uma “nova pandemia”! Deixando um divisor de águas, entre os anos vindouros e os demais anos passados... A partir deste ano, nada voltará a ser como antes fora. Infelizmente estamos sendo preparados para vivermos uma “nova era”!

Na antiguidade, quando surgia uma pandemia, devido à falta de conhecimentos, a humanidade se aterrorizava mediante ao invisível e então, assim sendo, concluíam que o que estava acontecendo era obra do maligno. Não se tinham ainda amplos conhecimentos de que forma o maligno se utilizava para atacar a humanidade: ou seja, não se sabiam, ou poucos humanos sabiam vagamente, da existência dos micro-organismos habitando o microcosmos. Mas, tanto na antiguidade como na atualidade, essas pandemias continuam sendo obras nefastas do mal. Na atualidade se torna mais perigosa ainda, pois que temos a tecnologia altamente avançada, e os seres humanos se compõem de pessoas do bem e de pessoas do mal. É por isso que o desamor, a desumanidade, o ódio, a ira, a inveja e tudo o que for danoso e ruim e maléfico para o desenvolvimento espiritual, existem e atuam entre nós.

Nós – quanto aos direitos de sermos seres humanos como somos –, acreditamos que temos poderes pessoais e interpessoais para dominarmos tudo o quanto sonharmos, almejarmos, criarmos, realizarmos – enfim, numa tentativa inútil de nos eternizarmos em vida, ficando, portanto: imortais, ou imortalizados! Seja por uma obra, seja por um grande feito, enfim, por seja lá o que for – pois desta forma, tentamos burlar o nosso inconformismo inconsciente ou consciente, de que somos frágeis, perecíveis, perenes, e extremamente mortíferos e mortais! Mas, muito embora contudo todavia porém: temos essa opção de crença: a de crermos de corpo, mente, alma e coração – de que Jesus, nosso Líder Libertador das dores e das angústias causadas por nossas limitações humanas – foi, é, e sempre será aquele Mestre Divino que veio ao mundo para nos dar, – através  do seu sangue derramado na Cruz do Calvário –, a renovação feita em plenitude de uma Vida Eterna!

III

Ah! Quanta doçura, que saudade deliciosa... Nas memórias silenciosas desses meus momentos reflexivos, ainda revejo as belezas daqueles natais de outrora, – com os pinheirinhos verdes, naturais, com os aromas adocicados espalhados pelos ares de dezembros... quanta riqueza religiosa e poética... quanta esperança depositada aos pés do menino Jesus nos presépios...

Cheiros de flores, de amizades, de confraternizações, abraços, a vida fluindo, fluindo, fluindo...! Sentia os cheiros de flores misturados aos frutos de uma árvore e outras e mais outras, as quais compunham as belezas singelas da horta do quintal da minha vovó Amélia! Quanta ternura, quanta saudade! O frondoso pé de mangueira, cobria de sombra e dava guarida a todas as demais árvores. No alto do tronco dele continham pés de orquídeas. Ao lado dele tinha o pessegueiro, e embaixo tinha o pé de sabugueiro branco. Em dezembro tudo florescia, e muitas mangas ficavam penduradas nos galhos da mangueira! No meu coração tudo era festa. Primos, tios, tias, primas, vizinhos, muitas pessoas transitavam por dentro e por fora da casa da minha avó...

IV

Os meses de dezembro é tropical por aqui na América do Sul! Tem dias em que o céu fica carregado de nuvens pesadas de chuva! Chove muito, o calor é intenso! E a vida vai prosseguindo entre um acontecimento e outro, – entre uma monotonia e outra, – vamos seguindo em frente, apesar de tudo...

V

A Família Humana está ferida, muito ferida e ressentida... mediante aos infortúnios que andam se sucedendo, um após o outro, em todas as áreas que compõem os nossos meios de sobrevivência. Estamos vivendo momentos de extremada insegurança e estamos nos retraindo para dentro de nós mesmos, – refletindo em tudo o que somos, e em tudo o que temos, – até concluirmos que: sem a presença de Deus, nada somos e nada temos; pois dependemos da metafísica da fé, das nossas crenças, para podermos sobreviver em meio a este labirinto incógnito que vai amedrontando, nos cerceando, nos coibindo, enfim – vai fazendo com que cada vez mais percamos dentro do nosso aspecto existencial, aquela carismática força que nos preenche de vida em plenitude!

VI

Nos natais de outrora, os nossos conflitos eram, senão os mesmos, muito parecidos: mas sempre almejamos uma tranquilizadora quietude com a alma pacífica, se deleitando na soberania da paz! Como se estivéssemos deitados num macio areal, sob às sombras de frondosas árvores, ouvindo os sonoros cantos dos pássaros e os burburinhos intermitentes de um riacho limpo de águas, correndo próximo aos nossos pés. Muito embora essa quietude, essa calmaria, não nos dá e nunca nos deu alguma segurança plena, de que o mundo está em Paz! E assim sendo, entre um acontecimento e outro, a cada ano que se finda, somente nos dispomos a renovarmos a nossa fé e crença na Vida Eterna, ao celebrarmos mais um aniversário de nascimento do menino Jesus! Que bom que Ele esteve por aqui, pisando esta terra, num determinado tempo de outrora! Por onde estará Ele, agora, neste exato momento...?!

VII

- Pois bem: estou vivendo num espaço de tempo desta atualidade, e, apesar de tudo, apesar de muitos conflitos, sinto que a vida vale a pena ser vivida. É uma enorme satisfação poder estar finalizando este artigo que fui pensando, meditando, enquanto fui trabalhando nos afazeres da casa, e, (as minhas vindas e idas entre a cozinha e demais espaços da casa, até aqui no CP, no qual fui elaborando e digitando minhas ideias para formatar este artigo no Word, foram muitas. Algumas vezes cansativas e outras nem tanto, mas todas foram prazerosas, pois sempre foi um enorme prazer para mim, falar de Jesus, e sei que a Espiritualidade Divinal não tem nada a ver com todas essas tramoias e conflitos pelos quais a Humanidade está passando por aqui, enquanto vamos girando juntamente com este nosso querido e arquibilionário Planeta Terra)!

 

VIII

- Hoje, dia 19 de dezembro de 2020, estou finalizando os preparos dos “porquinhos”! Olho no relógio e vejo que são 20h50min.Tudo está ficando em ordem na cozinha. Deixa-me explicar em relação ao que digo sobre “porquinhos’: trata-se de pimentões recheados com carne moída misturada com batata assada e ovos cozidos picadinhos em pequenos e médios pedaços. Estou preparando para assá-los amanhã. Comeremos, se Deus quiser, com macarrão alho e óleo. Digo “porquinhos” pois que na minha infância, quando tinha uns cinco ou seis anos, tive vontade de comer pimentão recheado, mas não sabia dizer para minha mãe o que era. Então dizia:

- É porquinho mãe... Daí ela fritava carne de porco. Eu dizia, então, a contragosto:

- Não mãe, é porquinho que eu quero... Bem, até que então uma prima minha começou a me mostrar objetos, até que acabou mostrando as folhas verdes da parreira de uvas que o meu pai cultivava:

- Ela me perguntou com aquele sotaque de Jundiaí:

- É desta cor o teu porquinho?

- Ééééééé...

- Daí pensaram, pensaram, e descobriram que era pimentão cheio...

- Bem, e eu nunca mais me esqueci...

Feliz Natal para Todos, apesar de algumas inconveniências! Mas Nós sabemos como ir nos alavancando a Vida, atravessando as nossas adversidades que nos foram impostas..., Mas se Deus é por Nós, então, vamos seguindo em frente... Que a Paz e o Amor incondicional de Nosso Mestre Divino Jesus Cristo, reine sobre toda a Humanidade em 2021!

Perdurando assim as tradições natalinas.

Aprendei, pois, da figueira a sua parábola: Quando já o seu ramo se torna tenro e brota folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas essas coisas, sabei que ele está próximo, mesmo às portas. Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas essas coisas se cumpram. Passará o céu e a terra, mas as Minhas palavras jamais passarão. Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai” (Mateus 24:32-36).

 

Odenir Ferro, Escritor, Poeta, Embaixador Universal da Paz! Embajador del idioma Espanõl em mi país em el mundo, Fundacíon César Egido Serrano. Membro correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni (MG), da ARLAC – Academia Rotary de letras, Artes e Cultura, vinculada ao Rotary Club de Taubaté Oeste (SP) e da ACLAPT – CTC Academia de Letras e Artes de Poetas Trovadores – APT – CTC, Vitória (ES).  Comendador nomeado pela Associação Brasileira de Liderança Instituto Brasil Líderes, https://youtu.be/jdALD8v-sCc Acadêmico Oficial da Ordem do Mérito Litteratudo, nomeado pela Academia Internacional da União Cultural Autor do Livro de Poemas Falando de Anjos  Amazon.com: FALANDO DE ANJOS (Portuguese Edition) (9781070704777): FERRO, ODENIR: Books  Nino Chaninho, O Gatinho Amazon.com: NINO CHANINO: The Little Cat (9798686322783): Ferro, Sr Odenir: Books