Caminho pelas Estrelas Follow by Email

sábado, 10 de novembro de 2018

Poema: A VIRTUDE DA PAZ Autor: Odenir Ferro

Poema: A VIRTUDE DA PAZ
Autor: Odenir Ferro
 
Uma gota de orvalho brilhando à luz do luar
Parece até que ensaia os monólogos felizes
Das águas perpetuando os ritmos das vidas.
Enquanto a noite vai embalando os sonhos,
De todos aqueles que já descansam em paz.
Tudo é silêncio, e as miríades de estrelinhas
Cintilam melancólicas, enfeitando o negro céu,
Enquanto as flores, dançam os acordes do amor!
 
Os sonhos vão materializando-se nesta liberdade
Enquanto os lindos Anjos entoam canções de ninar.
E a Terra toda aveludada, é um paraíso de felicidade
Pois perdura a virtude da Paz que deixa de ser singular
Para harmonizar-se com a nova realidade da dualidade
Presenteando-se de amor, na Vida geradora da espetacular
Música que esparrama no ar, a certeza desta pluralidade
Fortalecendo esta Paz entre todas as Nações, ao desabilitar
 
Os horrores de todas as guerras contendo os seus dramáticos
Desencantos desorientadores e devastadores; e assim, recriar
Uma nova realidade de cenários naturais, onde os teores líricos
Da rejuvenescedora força da poesia e a arte, são musas a encenar
As dimensões dos valores do amor, da paz, com os sons místicos
Da Criação; como se fossem uma assopro de vento, vindo entoar
Os muitos rejuvenescedores clamores cheios de apelos físicos
E espirituais gerando a união desta Paz nascida para encantar






Nenhum comentário: