Caminho pelas Estrelas Follow by Email

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Café-com-Letras DIREITOS HUMANOS reflexos e implicações na sociedade TÍTULO: Quais são os nossos DIREITOS HUMANOS atuais? Autor: Odenir Ferro



Título: Quais são os nossos Direitos Humanos atuais? Autor: Odenir Ferro

Quais são os direitos humanos que temos, – quando nos classificamos como cidadãos voltados para o bem, – ao sentirmos que estamos sendo desamparados pela Justiça? Quando se é notável, que os valores sociais, culturais, políticos, étnicos e religiosos, estão ficando cada vez mais às avessas? Ou seja: existem “Leis” que estão favorecendo amplamente os “direitos do cidadão bandido, criminoso, corrupto, desonesto, ladrão, etc.” Enquanto que: pessoas do bem, trabalhadores, honradas, que deveriam ser respeitadas e amparadas pelos Órgãos Judiciais, políticos, empresariais, religiosos, culturais, sociais, enfim, a tudo o que for devidamente “Correto e Justo”, não estão sendo?! Até no que for concernente, ao desempenho dos bons costumes e tradições civis e militares, numa abrangência que acolhe a todos os laços afetivos, e que geram os bons entendimentos socioculturais da Humanidade! No tocante à construção saudável, prazerosa, a tudo o que se referir ao bem-estar de cada componente humano, independente de crenças, etnias, e tudo o demais que for parte da estrutura física ou espiritual de cada ser humano que for! Estamos vivendo as deselegâncias, as fragilidades existenciais, as descomposturas, os desacertos, os desencontros, os desequilíbrios, enfim: estamos vivendo muitos e muitos segmentos sociais de valores inversos, e, às vezes até, chego a pensar que:
- A Declaração Universal dos Direitos Humanos, deveria ser revista e refeita: de um modo que pudéssemos nos reencontrarmos quanto seres humanos que somos. Como irmãos que somos. Amando a Deus sobre todas as suas criações. Respeitando todos os seres vivos, dentro de todos os ambientes planetário. Sendo verdadeiros e honestos, justos e leais, quando olharmos para dentro do nosso íntimo. Avaliando os nossos sentimentos, sem sermos ególatras! Exercitando a humildade, as paixões, compaixões, e, as empatias socioculturais, estendendo-as a todos os nossos irmãos humanos, irmãos animais, irmãos vegetais, enfim, a todo o conjunto Global existente dentro deste Planeta Arquibilionário e Maravilhoso, o qual nós o denominamos de Terra! Este é o nosso Lar Existencial, e devemos respeitá-lo, ao dizer, ao gritar, ao bradarmos:
- Paz! Não às Guerras! Vamos pôr Ordem e Progresso no Planeta! Vamos Amar, assim como Deus nos Amou! Vamos retirar as cercas, principalmente as cercas que estão nos nossos olhos! Vamos olhar para o nosso próximo, respeitando-o, e não vigiando ou criticando-o. Vamos reacender as Verdadeiras Chamas do Amor Humano! Vamos plantar e cultivar as boas sementes do bem, da justiça, da razão, da fé, do amor, da esperança, voltando-nos, confiantes, os nossos olhos para o bem do Amor de Deus! Compreendendo-nos dentro de todas as ramificações religiosas, de todas as seitas, através de todos os Anjos, de todos os Santos, enfim... Vamos nos rever quanto a seres humanos valiosos, preciosos que somos, e assim estendermo-nos as mãos, olhando o nosso próximo com todo o amor envolvente e proveniente da alma do mais profundo afeto do nosso coração, ao declararmo-nos Livres de todas as entranhas, de todas as amarras, de todos os subterfúgios, de todos os ardis, e acima de tudo, vamos nos libertarmos de todas as maldades socioculturais geradas pela ânsia do Poder, da Ambição, do Ódio, do Egoísmo, enfim, de todas as dicotomias geradas pelo desamor, pelo rancor, pelo revanchismo, pelos melindres, e tudo o que for danoso e contrário a tudo e a todos, no quanto for concebível para que possamos caminharmos em paz pelas Estruturas Físicas, Psíquicas e Espirituais, que se espalham em Amor, através das Energias Cósmicas e Divinais, que se explanam por todas as estruturas deste nosso maravilhoso Planeta Terra!




Nenhum comentário: