Caminho pelas Estrelas Follow by Email

sábado, 29 de dezembro de 2012

Poema: EM HOMENAGEM AOS ARTISTAS! Autor: Odenir Ferro



Nesta foto estou no Massi's em São Paulo (SP) Brasil
Ufa! Até parece que foi ontem... Mas, foi em 2010!
Na época declamei e interpretei o poema de minha autoria,
conforme segue abaixo:

Poema: EM HOMENAGEM AOS ARTISTAS!
Autor: Odenir Ferro

Àqueles que tecem que pintam,
E que bordam, que escrevem, e
A todos àqueles que constroem
A Arquitetura, a Engenharia,
A Medicina, todas as Ciências
Enfim, dinamizando, emocionando,
Todas as estéticas da plasticidade
Residente na plenitude das Belezas...

Àqueles artistas que se atrevem
A desafiarem até o inimaginável
Desde os picadeiros dos Circos,
Aos inigualáveis e os impecáveis
Trazezistas, palhaços, malabaristas
Engolidores do fogo, de espadas,...

Domadores de tigres, leões, onças,
Elefantes, serpentes, os gorilas,
Todos grandes mágicos de fraque
E de cartola com pombas brancas
Saindo do nada, voando
Pelos ares glamorosos
Dos Grand Theatre ou
Circle Du Soleil...

A Arte do Circo não pode parar!
Senhoras e Senhores, as Grandes
Artes da Vida não podem parar...
O espetáculo das vidas são luzes
Reluzentes, renascendo em cada
Novo existencial dia nascente!

Àqueles que vibram e se desdobram
Contracenam, atuam, dramatizam e,
Envolvem-se com as emoções fluidas
Nas encenações teatrais dos palcos
Aonde as platéias ovacionam, aplaudem
Vibram, com os artistas em corpo e alma
Em transes mediúnicos, modulando vozes,
Modelando faces de inumeráveis personagens!

Roteiristas, novelistas, cinegrafistas, cineastas,
Fotógrafos, acendendo as luzes da ribalta
Os amores impossíveis revividos nos proscênios
Os dramas, as tramas, as dores e os infortúnios,
Todas as honras e glórias traduzindo belezas,
Os sonhos tangíveis, produzidos nas telinhas,
Nos telões, nas telas a óleo, as esculturas,
As Arquiteturas esplhadas pelas cidades...

Atenção! Luzes, câmeras, claquetes,
Paletas, pincéis, painéis, outdoors,
Nos telões dos cinemas, nas telinhas
Das TVs, ensaios, dramaturgia, vidas
Interpretando a beleza das poesias:
Atenção! Silêncio... Gravaannndoooo!

Nas batutas dos Maestros, os músicos
As músicas, os belos shows musicais,
As vidas vão seguindo imitando todas
As grandes Artes que são essências vivas
Aonde estas belezas vão sendo extraídas
Das abstrações das vidas construindo
As Artes produzidas nas seivas vivas

Dos adocicados favos de mel que nos
Iluminam nos aromados e eternizados,
Sublimados Amores em flores que são
As assinaturas divinais desta sina.
Que são as lágrimas ou a amargura,
Ou as doçuras das salivas que vão
Massageando as vozes embargadas
De felicidades ou de dores...

Dentro da eterna nobreza de caráter
Dos espíritos que vivem inundando
De energia, os Verbos plenos de
Palavras que devoram vorazes,
As fiéis aptidões das essências
Primordiais das Comunicações
Espalhadas entre luzes,
Câmeras, aaaaçççõõõeeeesss!
Posted by Picasa