Caminho pelas Estrelas Follow by Email

sexta-feira, 6 de abril de 2012

SALMO 118 ELOGIOS DA LEI, ALELUIA, posted by Odenir Ferro

Art of the Day
Diego Rodríguez da Silva y Velázques:
Christ on the Cross
oil on canvas, 1632
Museo del Prado, Madrid

Salmo 118 Elogios da lei.

Aleluia.

Bem-aventurados os que se conservam

sem mácula no caminho, / os que andam

na lei do Senhor.

Bem-aventurados os que estudam os

seus testemunhos, / os que de todo o

coração o buscam.

Porque os que praticam a iniquidade

/ não andam nos seus caminhos.

Tu promulgaste os teus mandamentos,

/ para que fossem guardados à risca.

Oxalá se firmem os meus passos / no

cumprimento das tuas leis justas.

Eu não serei confundido, / tendo os

olhos fixos em todos os teus manda-

mentos. Louvar-te-ei com retidão de coração,

/ porque aprendi os juízos da tua justiça.

Guardarei os teus justos decretos; /

não me desampares jamais.

Como corrigirá o jovem seu proceder?

/ Guardando as tuas palavras.

De todo o meu coração te busquei; /

não me deixes transviar dos teus man-

damentos.

Escondi no meu coração as tuas palavras,

/ para não pecar contra ti.

Bendito és, Senhor; / ensina-me as tuas

justas leis.

Com os meus lábios pronunciei / todos

os preceitos da tua boca.

deleitei-me no caminho das tuas ordens,

/ tanto como em todas as riquezas.

Nos teus mandamentos me exercitarei,

/ e considerarei os teus caminhos.

Nas tuas ordens meditarei; / não me

esquecerei das tuas palavras.

Concede este graça ao teu servo, dá-me

vida, / e eu guardarei as tuas palavras.

Tira o véu dos meus olhos, / e conside-

rarei as maravilhas da tua lei.

Eu sou peregrino na terra; / não me

ocultes os teus mandamentos.

Minha alma desejou ansiosa / em todo

o tempo as tuas justas leis.

Ameaçaste os soberbos; / malditos os

que se afastam dos teus mandamentos.

Livra-me do opróbrio e do desprezo /

porque busquei cuidadoso os teus man-

damentos.

Até os príncipes se sentaram / e falavam

contra mim, / o teu servo todavia

meditava nas tuas determinações.

Porque os teus decretos são assunto da

minha meditação, / e as tuas justas

leis são os meus conselheiros.

Minha alma prostrou-se por terra; /

dá-me a vida, segundo a tua palavra.

Eu te expus os meus caminhos, e tu

me atendeste; / ensina-me os teus

preceitos.

Instrui-me no caminho das tuas ordens;

/ e meditarei nas tuas maravilhas.

Minha alma adormeceu de tédio; / for-

tifica-me com as tuas palavras.

Afasta de mim o caminho enganoso, /

e concede-me a graça da tua lei.

Escolhi o caminho da verdade; / não

me esqueci dos teus juízos.

Senhor, aderi aos teus testemunhos; /

não me queiras confundir.

Corri pelo caminho dos teus manda-

mentos, / quando dilataste o meu coração,

Impõe-me por lei, Senhor, o caminho

dos teus justos mandamentos, / e bus-

cá-lo-ei sempre.

Dá-me inteligência, e estudarei a tua

lei, / e a guardarei de todo o meu

coração.

Guia-me pela senda dos teus manda-

mentos, / porque esa mesma desejei.

Inclina o meu coração para os teus

preceitos, / e não para a avareza.

Desvia os meus olhos, para que não

vejam a vaidade; / faze que eu viva

seguindo o teu caminho.

Faze que o teu servo se firme em tua

palavra, / mediante o teu temor.

Afasta de mim o opróbrio, que receio,

/ porque os teus juízos são suaves.

Vê como eu suspirei pelos teus man-

damentos; / faze que viva segundo a

tua justiça.

Venha sobre mim a tua misericórdia,

Senhor, / e a tua salvação, segundo

a tua palavra.

E poderei responder aos que me in-

sultam, / que pus a minha esperança

nas tuas palavras.

E não tires jamais da minha boca a

palavra da verdade, / porque confiei

muito nas tuas promessas.

Guardarei sempre tua lei, constante-

mente até o fim.

caminharei por uma senda larga, /

porque busquei os teus mandamentos.

Falarei dos teus preceitos diante dos

reis, / e não me envergonharei.

Meditarei nos teus mandamentos, que

eu amo.

Levantarei as minhas mãos para os

teus mandamentos, que eu amo, / e

exercitar-me-ei nas tuas ordens.

Lembra-te da promessa que fizeste ao

teu servo, / com a qual me deste es-

perança.

isto me consolou no meu abatimento, /

porque a tua palavra me deu vida.

Os soberbos insultaram-me em extre-

mo, / mas eu não me afastei da tua

lei.

Lembrei-me, senhor, dos juízos que

exerveste em todos os séculos, / e con-

solei-me.

Desfaleci, vendo os pecadores / que

abandonavam a tua lei.

As tuas leis justas eram dignas de ser

cantadas por mim, / no lugar da mi-

nha peregrinação.

Lembrei-me do teu nome, Senhor, / du-

rante a noite, e guardei a tua lei.

Isto me aconteceu, / porque busquei

cuidadoso os teus preceitos.

Eu disse: Senhor, a minha porção é

guardar a tua lei.

supliquei o teu favor de todo o meu

coração; / compadece-te de mim, se-

gundo a tua palavra.

Considerei os meus caminhos, / e voltei

os meus passos para os teus preceitos.

Estou resolvido, sem que nada me pos-

sa perturbar, / a guardar os teus man-

damentos.

Os laços dos pecadores me cingiram

por todas as partes, / mas eu não me

esqueci da tua lei.

À meia noite levantava-me para te lou-

var / por teus justos decretos.

Associo-me a todos os que te temem

/ e guardam os teus mandamentos.

A terra está cheia, Senhor, da tua mi-

sericórdia; / ensina-me os teus precei-

tos.

Senhor, bondoso foste para com o teu

servo, / segundo a tua palavra.

ensina-me a bondade, a doutrina e a

ciência, / porque dei crédito aos teus

mandamentos.

Antes de ser humilhado, pequei, / mas

agora obedeço à tua palavra.

Tu és bom, / e, por tua bondade, en-

sina-me as tuas justíssimas prescrições.

A iniquidade dos soberbos multiplicou-

-se contra mim, / mas eu de todo o

meu coração guardarei os teus manda-

mentos.

O coração deles coalhou-se como lei-

te, / porém eu deleitei-me na tua lei.

Para mim foi bom que passei pela dor,

/ para eu aprender os teus preceitos.

Para mim vale mais a lei que saiu da

tua boca, / do que milhões de ouro e

de prata.

Tuas mãos fizeram-me e formaram-me;

/ dá-me inteligência, e eu aprenderei

os teus mandamentos.

Os que te temem verão com alegria, /

porque pus toda a minha esperança nas

tuas palavras.

Conheci, senhor, que os teus juízos

são de equidade, / e merecidamente

me humilhaste.

Venha tua misericórdia consolar-me, /

segundo a promessa ao teu servo.

Venham a mim as tuas misericórdias,

e viverei, / porque a tua lei é a minha

meditação.

Sejam confundidos os soberbos, pois in-

justamente maquinaram males contra

mim; / eu porém me excitarei nos teus

mandamentos.

Voltem-se para mim os que te temem,

/ e os que conhecem teus testemunhos.

Seja imaculado o meu coração na prá-

tica dos teus mandamentos, / para que

eu não seja confundido.

A minha alma desfaleceu à espera da

tua salvação; / em tua promessa espero.

Os meus olhos cansaram-se de tanto

esperar a tua promessa, / dizendo:

Quando me consolarás?

Porque eu tornei-me como um odre ex-

posto à fumaça, / mas não olvidei os

teus justos preceitos.

Quantos são os dias do teu servo? /

Quando farás justiça aos que me per-

seguem?

Contaram-me ímpios coisas frívolas, /

mas quão diferente é tudo isso da tua

lei!

Todos os teus mandamentos são ver-

dade; / injustamente me têm persegui-

do, socorre-me.

Por pouco não deram comigo em ter-

ra, / eu porém não abandonei os teus

mandamentos.

Concede-me a vida segundo a tua mise-

ricórdia, / e eu guardarei os manda-

mentos saídos da tua boca.

Para sempre, Senhor, permanece no

céu a tua palavra.

A tua verdade transmite-se de geração

em geração; / tu fundaste a terra, e ela

permanece.

Por tua ordem continuam a subsistir,

/ pois todas as coisas te servem.

Se a tua lei não tivese sido a minha

meditação, / então decerto eu teria

perecido na minha angústia.

Nunca olvidarei os teus preceitos, /

porque neles me deste a vida.

Eu sou teu, salva-me, / porque bus-

quei ansioso os teus preceitos.

Os pecadores esperaram-me para me

perder; / eu porém estive atento aos

teus ensinamentos.

Vi o fim de tudo o que é perfeito, /

somente a tua lei não tem limites.

Quanto eu amo a tua lei, Senhor! /

Ela é minha meditação todo o dia.

Tornaste-me mais prudente do que os

meus inimigos com os teus mandamen-

tos, / porque tenho-os perpetuamente

diante dos meus olhos.

Compreendi mais que todos os meus

mestres, / porque os teus mandamen-

tos são a minha meditação.

Entendi mais do que os anciãos, /

porque busquei os teus preceitos.

Retirei os meus pés de todo o mau

caminho, / para guardar as tuas pala-

vras.

Não me desviei do teus juízos, / por-

que tu me prescreveste uma lei.

Quão doces são as tuas palavras ao

meu paladar! / São-no mais que o mel

à minha boca.

Com os teus mandamentos aprendi, /

por isso odeio todo o caminho da ini-

quidade.

Lâmpada para os meus passos é a tua

palavra, / e luz para os meus caminhos.

Jurei e determinei guardar os teus

justísimos decretos.

Tenho sido humilhado, Senhor, de to-

dos os modos; / faze-me viver segun-

do a tua palavra.

Aceita, Senhor, a homenagem de meus

lábios / e ensina-me os teus juízos.

Minha alma está sempre nas minhas

mãos / porém não olvido a tua lei.

Os pecadores armaram-me laços; /

não me afastei, porém, dos teus man-

damentos.

Minha herança perpétua são os teus

mandamentos, / porque são a alegria

do meu coração.

Inclinei o meu coração a praticar sem-

pre as tuas leis, / por causa da re-

compensa.

Aborreci os iníquos, / e amei a tua lei.

tu és meu defensor e meu amparo, /

e pus toda a minha esperança na tua

palavra.

Retirai-vos de mim, malignos, / e es-

tudarei os mandamentos do meu Deus.

Ampara-me (Senhor) segundo a tua

promessa, e viverei, / e não permitas

que eu seja confundido no que espero.

Ajuda-me, e serei salvo, / e medita-

rei sempre nas tuas leis.

Desprezaste todos os que se desviam

dos teus preceitos, / porque é injusto

o seu pensamento.

Reputei como prevaricadores todos os

pecadores da terra, / por isso amei os

teus testemunhos.

Traspassa com o teu temor as minhas

carnes, / porque temi os teus juízos.

Pratiquei a retidão e a justiça; / não

me entregues aos que me caluniam.

Ampara o teu servo para o bem; / não

me caluniem os soberbos.

Os meus olhos desfaleceram à espera

da tua salvação / e das promessas da

tua justiça.

Trata o teu servo segundo a tua mise-

ricórdia, / e ensina-me os teus justos

decretos.

Sou teu servo; dá-me inteligência, /

para que eu conheça os preceitos.

É tempo de esforçar-se para o Senhor;

/ violaram a tua lei.

Por isso amei os teus mandamentos,

/ mais do que o ouro e o topázio.

Por isso enveredei pela senda de to-

dos os teus mandamentos, / e odiei

todo o caminho mau.

Os teus testemunhos são admiráveis,

/ por isso os investigou a minha alma.

A explicação de tuas palavras alumia

/ e dá inteligência aos pequeninos.

Abri a minha boca e respirei, / por-

que desejava os teus preceitos.

Olha para mim, e compadece-te de

mim, / segundo é justo com os que

amam o teu nome.

Encaminha os meus passos segundo

tuas palavras, / e não me domine iniqui-

dade alguma.

Livra-me das injúrias dos homens, /

para qu guarde os teus preceitos.

Faze que a luz do teu rosto reluza so-

bre o teu servo, / e ensina-me os teus

justos decretos.

Rios de lágrimas derramaram os meus

olhos, / por não terem guardado a tua

lei.

Tu és justo, Senhor, / e o teu juízo

é reto.

Mandaste estreitamente a observância

dos teus preceitos, / como a tua suma

verdade.

O meu zelo fez-me definhar; / porque

os meus inimigos se esqueceram das

tuas palavras.

A tua palavra é chama ardente, / e o

teu servo a tem amado.

Eu sou pequeno e desprezível, / mas

não esqueci os teus justo decretos.

Tua justiça é justiça eterna, / e a tua

lei é a mesma verdade.

A tribulação e a angústia surpreende-

ram-me; / os teus mandamentos são

a minha meditação.

Os teu preceitos são cheios duma

eterna equidade; / dá-me a inteligên-

cia deles, e viverei.

Clamei de todo o meu coração, ouve-

-me, Senhor; / buscarei os teus justos

preceitos.

Clamei a ti, salva-me, / para que guar-

de teus mandamentos.

Eu me antecipei à aurora e clamei, /

porque esperei firmemente nas tuas

palavras.

Os meus olhos voltaram-se para ti an-

tes da aurora, / para meditar a tuas

palavras.

Ouve a minha voz segundo a tua mi-

sericórdia, Senhor, / e dá-me vida se-

gundo o teu juízo.

Os meus perseguidores arrastaram-me

para o crime / e desviaram-me da tua

lei.

Perto estás de mim, Senhor, / e todos

os teus caminhos são verdade.

Acerca dos teus testemunhos, / desde

o princípio reconheci que tu os esta-

beleceste para sempre.

Vê o meu abatimento e livra-me, /

porque não transcurei tua lei.

Julga a minha causa, e liberta-me; /

dá-me a vida segundo a tua palavra.

A salvação está longe dos pecadores,

/ porque não buscam os teus justos

preceitos.

Muitas são, Senhor, as tuas misericór-

dias; / dá-me a vida segundo o teu

juízo.

Muitos são os que me perseguem e

me atribulam; / eu porém não me des-

veiei dos teus mandamentos.

Vi os prevaricadores e consumia-me, /

porque não guardaram tuas palavras.

Vê, Senhor, quanto tenho amado os

teus mandamentos, / dá-me a vida pe-

la tua misericórdia.

O princípio das tuas palavras é a ver-

dade; / todos os juízos da tua justiça

são eternos.

Os príncipes me perseguiram sem cau-

sa, / porém o meu coração temeu as

tuas palavras.

Eu alegro-me nas tuas promessas, /

como quem encontra muitos despojos.

Odiei e detestei a iniquidade; / mas

amei a tua lei.

Sete vezes ao dia te dirigi louvores /

pelos juízos da tua justiça.

Gozam muita paz os que amam a tua

lei, / e não há para eles nenhuma

ocasião de queda.

Eu esperava a tua salvação, ó Senhor,

/ e amei os teus mandamentos.

Minha alma guardou os teus preceitos,

/ e ardentemente os amou.

Guardei os teus mandamentos e os

teus preceitos, / porque todos os

meus caminhos estão presentes aos

teus olhos.

Chegue, Senhor, a minha súplica à

tua presença; / dá-me a inteligência

segundo a tua palavra.

Chegue a ti a minha súplica; / livra-

-me segundo a tua palavra.

Os meus lábios romperão num hino, /

quando me ensinares os teus preceitos.

A minha língua anunciará a tua pala-

vra, / porque todos os teus manda-

mentos são equidade.

Estende a tua mão para me salvar,

porque escolhi os teus mandamentos.

Desejei, Senhor, a tua salvação, / e a

tua lei é a minha meditação.

A minha alma viverá e te louvará, /

e os teus juízos serão o meu apoio.

Andei errante, como ovelha, que se

desgarrou; busca o teu servo, / por-

que me não esqueci dos teus manda-

mentos.