Caminho pelas Estrelas Follow by Email

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Poema: A UNICIDADE EXISTENCIAL Autor: Odenir Ferro


Poema: A UNICIDADE EXISTENCIAL

Autor: Odenir Ferro



É como se o Planeta, se reerguesse

Em formas de braços e de mãos em punhos fechados.

E deles, saindo do inverso interior, lacrimejantes águas

Para vir mostrarem-se nos reversos de fora de si mesmas

Ao remodelarem-se, reagruparem-se,

Unindo as peles de todas as terras.

Agrupando-as, num só, e único

Continente.



E assim, a Vida, na amplitude da sua explosiva força,

Continuasse para recontar-se, ao recomeçar-se numa nova Era.

Dentro duma nova antiga História reunificando-se nas essências

De todos os Povos! Dentro dos Atos contínuos das conjunções,

De um único e imenso e intenso, Universo de Amor!



Fazendo renascer as cascatas das chamas propulsoras

Das Luzes incontáveis da dinastia hierárquica da esperança

Dos reencontros capazes de reproduzirem-se, ao espelharem-se

Nos espelhos das águas dos sonhos! Projetando-se nas realizações,



Vibrando-se nas realidades de todas as humanitárias percepções

Que vão aos encontros agrupados da metafísica nos Átomos-sementes

Fazendo-se em nós, de nós, por nós, e por todas as extensões de nós,

A Unicidade Existencial! Que se explana como o curso dos rios...

Fotografando, nas suas águas correntes, as belíssimas vibrações

De todos os animais, de todos os seres humanos e todas as plantas!