Caminho pelas Estrelas Follow by Email

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Enc: [Caminho Pelas Estrelas] 9/07/2011 09:36:00 AM


 
 
 
Título da Ode Poética: BRASIL IDOLATRADO,
DE TODAS AS CORES, BRASIL!
Autoria: Odenir Ferro
 
Quinhentos anos de glórias guapezam bravezas!
Defluências da tua história heróica levantas
Por tuas mãos insólitas em enormes grandezas,
Retumbam, ecoam... Guapices brunidas aclamas!
 
Brasil, gazel pueril maravilhoso e tangente.
És pungente repleto no teu seio tão varonil.
Cobre-te o purpúreo céu escarlate reluzente,
Na remanescente e muito inusitada cor anil!
 
E pisa o solo teu, todas as cores mil,
Que dentro de ti, se imiscuiu,
Miscigenou-se gigante,
Na tua raça valente!
 
Envoltos os olhos teus no mirar ao longe, concedes
O olhar no luar do futuro vivo em propério dolente.
Correm em tuas matas, rios belíssimos e afluentes.
E na tua cadência fluente, flui natureza coerente!
 
Diante dos meus mais arraigados pátrios pensamentos,
Teço palavras sinceras, e muito expresso emotivo,
Sensações que me enternece de júbilos sentimentos
Ante tua glória fulgurante, pois és nativo cativo
Porque és tu, Brasil, Porto Seguro bravejante,
Desde os idos tempos dos Bandeirantes...
 
Tu gritas e aclamas por tua singela nobreza envolta,
Infante de sons que reluzem, ao poente sol reverberante.
Teces púrpura nos cristais e diamantes, e até escoltas,
Coroas em jazidas de ouro e negro ouro, em tua terra
Ascendente.
Vindos do fundo profundo do teu leito transparente,
Remanescente
Brotam da tua terra, as riquezas das Minas, jazidas emergentes.
 
Nas rebarbas espumejantes do teu caudaloso aveludado mar,
Belas rendeiras festejadas da natureza mãe, pátria tece
Tracejados desenhados desenvoltos na tua orla à preamar
A te circundar de ponta a ponta, ante a luz que arrefece
Silenciosa, provindas de estrelinhas em miríades componentes,
Respeitosas e altivas, diante fulgores dos luares ardentes...
 
A se exibir no altivo alto do teu céu,
Resplandecências potentes e coerentes
Da tua nudez condescendente valente.
Da tua luz saem forças para os mares,
Que se renovam florados fortemente,
Ante teus sábios intempestuosos ares.
 
No sol e no céu e no ar, os dias são como lindos prelúdios.
As noites se envaidecem efusivas e radiosas ante as ricas
Belezas tuas; e o esplendor da lua enorme em prenilúdios,
Enaltece o esmeraldado tapete da Amazônia envolvente,
Que te dignificas, te escoltas em louvores, honras, nobremente.
Diante dos olhos enxabidos, indiscutivelmente respeitáveis,
De todos os outros majestosos esplendorosos e dignificados,
Continentes formados por países guarnecidos e amáveis.
 
Somos de ti, um todo uno povo emotivo a cantar.
E semente somos e também formamos força pilhéria
Na tua raça bravia digna soberanamente a festejar.
Somos um povo que luta e desbrava a forte fúria,
Das tuas acolhedoras e mais esplêndidas terras.
E frequentemente nunca ignoramos os sem terras,
Pois são eles constância resultante das quimeras
Da tua fortaleza colossal impávida, que prospera.
 
Somos uma raça valente e sorridente em aberta missiva.
As mãos calejadas entrelaçamos no teu seio frondoso.
Reluzimos nos olhos o penhor real da nossa fé passiva.
Pois somos um povo fidedigno, leal, devoto e fervoroso
Nossas esperanças em Deus, com sentimento depositamos.
Para que afastemos de ti, os ais; desvelos e desmandos.
Feitos impropérios de seres inumanos de almas galantes,
Que te corrompe ao corromper tuas riquezas infantes...
 
No noturno do teu céu, vem miríades em estrelas a cobrir-te.
Assim como na majestosa bela bandeira tua, elas pespontam.
Tuas praias tão morenas, lindas fogosas mulheres desfilam.
Oh! Nobre portal de mãe gentil és tu esplêndida grandeza!
 
O teu Nordeste tem tórridas secas às mínguas.
Tal qual fosse a lua minguante quando míngua.
E em ricos tons destes contrastes resplandeces,
Nas mais nobres e belas paisagens dos Pampas.
 
Na tua nobre terra a Amazônia em verde aveludado se abriga.
Celeiro do Mundo tem fauna, flora, pois tu dás guaridas.
No teu centro monumental, ergue-se Brasília colossal.
Cerrado aberto e fluente, no teu Planalto Central!
 
Na tua terra, São Paulo também tem, com garoas nos telhados.
Onde às margens do Ipiranga, o D. Pedro muito tão gentil
E bravio, a tua aclamadíssima Independência proclamou.
Também tem tranqüila Minas e festiva Bahia febril.
O belo Rio lindo adorado De Janeiro idolatrado,
Também tens acalorado na emoção maravilhado!
 
A tua terra, do Planeta é a mais bela luz floreada.
E porque tu és tenra primavera, presto a ti,
Minha singela primícia de homenagem sincera.
 
E te consagro do bem mais fundo da minh'alma e peço
Toda a calma que aos sons do teu progresso,
Enalteço salva de palmas que agora aclamo,
E por ti sempre louvo e proclamo!
 
 
Título da Ode Poética: BRASIL IDOLATRADO,
DE TODAS AS CORES, BRASIL!
Autoria: Odenir Ferro
 
Quinhentos anos de glórias guapezam bravezas!
Defluências da tua história heróica levantas
Por tuas mãos insólitas em enormes grandezas,
Retumbam, ecoam... Guapices brunidas aclamas!
 
Brasil, gazel pueril maravilhoso e tangente.
És pungente repleto no teu seio tão varonil.
Cobre-te o purpúreo céu escarlate reluzente,
Na remanescente e muito inusitada cor anil!
 
E pisa o solo teu, todas as cores mil,
Que dentro de ti, se imiscuiu,
Miscigenou-se gigante,
Na tua raça valente!
 
Envoltos os olhos teus no mirar ao longe, concedes
O olhar no luar do futuro vivo em propério dolente.
Correm em tuas matas, rios belíssimos e afluentes.
E na tua cadência fluente, flui natureza coerente!
 
Diante dos meus mais arraigados pátrios pensamentos,
Teço palavras sinceras, e muito expresso emotivo,
Sensações que me enternece de júbilos sentimentos
Ante tua glória fulgurante, pois és nativo cativo
Porque és tu, Brasil, Porto Seguro bravejante,
Desde os idos tempos dos Bandeirantes...
 
Tu gritas e aclamas por tua singela nobreza envolta,
Infante de sons que reluzem, ao poente sol reverberante.
Teces púrpura nos cristais e diamantes, e até escoltas,
Coroas em jazidas de ouro e negro ouro, em tua terra
Ascendente.
Vindos do fundo profundo do teu leito transparente,
Remanescente
Brotam da tua terra, as riquezas das Minas, jazidas emergentes.
 
Nas rebarbas espumejantes do teu caudaloso aveludado mar,
Belas rendeiras festejadas da natureza mãe, pátria tece
Tracejados desenhados desenvoltos na tua orla à preamar
A te circundar de ponta a ponta, ante a luz que arrefece
Silenciosa, provindas de estrelinhas em miríades componentes,
Respeitosas e altivas, diante fulgores dos luares ardentes...
 
A se exibir no altivo alto do teu céu,
Resplandecências potentes e coerentes
Da tua nudez condescendente valente.
Da tua luz saem forças para os mares,
Que se renovam florados fortemente,
Ante teus sábios intempestuosos ares.
 
No sol e no céu e no ar, os dias são como lindos prelúdios.
As noites se envaidecem efusivas e radiosas ante as ricas
Belezas tuas; e o esplendor da lua enorme em prenilúdios,
Enaltece o esmeraldado tapete da Amazônia envolvente,
Que te dignificas, te escoltas em louvores, honras, nobremente.
Diante dos olhos enxabidos, indiscutivelmente respeitáveis,
De todos os outros majestosos esplendorosos e dignificados,
Continentes formados por países guarnecidos e amáveis.
 
Somos de ti, um todo uno povo emotivo a cantar.
E semente somos e também formamos força pilhéria
Na tua raça bravia digna soberanamente a festejar.
Somos um povo que luta e desbrava a forte fúria,
Das tuas acolhedoras e mais esplêndidas terras.
E frequentemente nunca ignoramos os sem terras,
Pois são eles constância resultante das quimeras
Da tua fortaleza colossal impávida, que prospera.
 
Somos uma raça valente e sorridente em aberta missiva.
As mãos calejadas entrelaçamos no teu seio frondoso.
Reluzimos nos olhos o penhor real da nossa fé passiva.
Pois somos um povo fidedigno, leal, devoto e fervoroso
Nossas esperanças em Deus, com sentimento depositamos.
Para que afastemos de ti, os ais; desvelos e desmandos.
Feitos impropérios de seres inumanos de almas galantes,
Que te corrompe ao corromper tuas riquezas infantes...
 
No noturno do teu céu, vem miríades em estrelas a cobrir-te.
Assim como na majestosa bela bandeira tua, elas pespontam.
Tuas praias tão morenas, lindas fogosas mulheres desfilam.
Oh! Nobre portal de mãe gentil és tu esplêndida grandeza!
 
O teu Nordeste tem tórridas secas às mínguas.
Tal qual fosse a lua minguante quando míngua.
E em ricos tons destes contrastes resplandeces,
Nas mais nobres e belas paisagens dos Pampas.
 
Na tua nobre terra a Amazônia em verde aveludado se abriga.
Celeiro do Mundo tem fauna, flora, pois tu dás guaridas.
No teu centro monumental, ergue-se Brasília colossal.
Cerrado aberto e fluente, no teu Planalto Central!
 
Na tua terra, São Paulo também tem, com garoas nos telhados.
Onde às margens do Ipiranga, o D. Pedro muito tão gentil
E bravio, a tua aclamadíssima Independência proclamou.
Também tem tranqüila Minas e festiva Bahia febril.
O belo Rio lindo adorado De Janeiro idolatrado,
Também tens acalorado na emoção maravilhado!
 
A tua terra, do Planeta é a mais bela luz floreada.
E porque tu és tenra primavera, presto a ti,
Minha singela primícia de homenagem sincera.
 
E te consagro do bem mais fundo da minh'alma e peço
Toda a calma que aos sons do teu progresso,
Enalteço salva de palmas que agora aclamo,
E por ti sempre louvo e proclamo!

Enc: [PoetasdelMundo_Brasil] CONVITE PAR AO LANÇAMENTO DO PRIMEIRO VOLUME DA ANTOLOGIA DA ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL POETAS DEL MUNDO



----- Mensagem encaminhada -----
De: associacaointernacional
Enviadas: Terça-feira, 6 de Setembro de 2011 22:09
Assunto: [PoetasdelMundo_Brasil] CONVITE PAR AO LANÇAMENTO DO PRIMEIRO VOLUME DA ANTOLOGIA DA ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL POETAS DEL MUNDO

 
OS POETAS:

BAHIA
Marcelo Gregório Sá Da Silva - Marcelo Portuária; Lucia Laborda; Maria Julia Guerra  e   Valdeck Almeida de Jesus;
.
CEARÁ
Maria de Fátima Lemos Pereira Cândido   e  Sonia Nogueira
.
ESPIRITO SANTO
  Maria Neuza de Oliveira e Sonia Maria - Baby;
 . 
 GOIÁS
Adelice da Silveira Barros
.
MATO GROSSO DO SUL
Nelson Vieira, Keila Matioli e Aida Domingos; 
.
MARANHÃO
Dilercy (Aragão) Adler
 .
MINAS GERAIS
José Hilton Rosa; Carlos Lucio Gontijo; Tatiany Pinheiro de Araújo; Célia Lamounier de Araújo; Ana Cristina dos Reis Cruz; Paulo José de Oliveira; Silvia Araujo Mota;
Dirceu Thomaz Rabelo e Irineu Baroni;
.
PARAIBA
José Rodrigues Carneiro;

PARANÁ
Rosângela Jacinto da Silva; Dária Farions e Roseles Bittencourt;
.
PERNAMBUCO
 Luiza Soares Benício de Moraes; Rosane Uchoa Carneiro Netto Lopes; Severina Melo (pseudônimo: ( Ina); Graça Graúna; Luciene Silva e Esther Rogessi;
.
RIO DE JANEIRO
Manoel Virgílio Pimentel Côrtes; Leda Lucia Marques Pimentel Côrtes;  Andrea Lucia Barreto Guarçoni;  Marineves Rodrigues; Celi Luz; Mel Racional;
Marisa Rosa Cabral Ferreira; Celma Lavaquial Capeche; Maria do Perpétuo Socorro de Lima Lopes; Edson Carvalho De Luna Freire; Telma Lopes Moreira Paternoster;
Rozelene Furtado de Lima; Luiz Poeta; Carlos Magno e  Laura Miranda ;.

RIO GRANDE DO NORTE
Janilson Dias de Oliveira e Lúcia Helena Pereira;
 .
RIO GRANDE DO SUL
Isabel Cristina Silva Vargas; Véra Lúcia de Campos Maggioni; Mardilê Friedrich Fabre; Ilda Maria Costa Brasil; Alcione Sortica; Alba Albarella e
Maria Clara Segobia
.
SÃO PAULO
 Rita Velosa;  Aparecido Donizetti Hernandez; Silvia Ferreira Lima;  Irene Zanette de Castañeda; Hazel de Souza Francisco; Maria Penha da Luz Meira de Castro - Penhah Castro; Osvaldo Junior Pansera Waczuk; Helena Armond e Regina Reis;

SANTA CATARINA
 Ari Santos de Campos e  Paulo Roberto Bornhofen
.
e
Jõão Pereira Correia Furtado  de PRAIA - REPUBLICA DE CABO VERDE
                                                                                                                                 CONVIDAM
 

 POETAS DEL MUNDO:
http://a-internacionalpoetasdelmundo.blogspot.com/
.
Delasnieve Daspet
Embaixadora Universal da Paz
Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix
Genebra - Suiça
.

__,_._,___