Caminho pelas Estrelas Follow by Email

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Alguns dos meus momentos, são as minhas múltipla reflexões! Autor: Odenir Ferro

Lucas Cranach





the elder:





Adam and Eve (1538)





oil on panel, 1538





Národní Galerie,





Sternberg Palace, Prague















Eu tenho um fato, ou melhor, um fato, não. Uma resolução pessoal que refere-se a um grande encontro, e como tudo o que é bom, eu não pretendo falar muito sobre isso. Mas eu tive um sonho realizado! Eu desejei muito, ardentemente, encontrar a minha Alma Gêmea! E graças aos Bons Anjos, e ao Bom Deus, eu consegui! Se eu escrevesse milhões de poemas, milhões de livros, nada disso, relataria a força do que é a Grandeza de um Grande Amor! Eu acredito em Deus, e na Eternidade! Eu acreditei na minha Alma Gêmea! E depois de tudo, a liberdade é indescritível... Nós tivemos, Um, uns, vários, ao mais, encontros! Nesta vida, descobrimos que os nossos objetivos seriam outros! Mas, creiam, a Eternidade existe! E para resumir, o som de alarde, da minha procura pessoal, foram estes poemas que seguem abaixo:










ESSÊNCIA





Autor: Odenir Ferro










Onde andará a sua luz?





Que em sombras deixou o luar,





Da luz do brilho da minha vida.





Estou caminhando rente as ondas do mar.





Num eterno estado de desassossego.





E agora?





O sol paira sobre minha cabeça.





E a areia queima os meus pés.





E na ausência da sua sombra,





Presente está o meu desatino.





Estou desmotivado e caminho sem sessar.





A minha alma procura te sondar.





Onde andará a sua luz?





Que é desta sombra,





Que não para de me marcar?










O que foi daquele nosso amor,





Que se findou?










A água do mar banha os meus pés.





E a chuva fria e fina que agora cai,





Molha meu corpo.





Inundando a minha alma marcada





Pelos pensamentos sôfregos,





Prostrados aos pés do desamor.





E sinto a ausência da sua luz.





Eu vivo a ausência da sua vida.





E remoo esse desamor





Causado pelas marcas deixada





Pelo distanciamento da sua luz,





Que deixou em mim





Marcas da sua sombra.










Poema: TEOR MÍSTICO ESOTÉRICO





Autor: Odenir Ferro










Quero navegar correntezas caudalosas, neste mundo afora.





E não titubear nos muitos encontros afrontados; solidão,





Longas jornadas errantes; colhendo estrelas, escuridão.





Como nômade solto, voz da alegria do amor que aflora...










Dos cenários do universo, ao crivo do meu palco majesto!





Aconchegando-me com lua e estrelas, e tecendo uma prece.





Em silêncio na noite negra; a envolver-me num só gesto,





Todo no teor místico esotérico que tanto me aquiesce...










Deixar flutuar livre e solto, ao vento à plena maresia,





Ouvindo o murmúrio das praias e o encanto e belo canto,





Do rouxinol distante enamorado, a deixar livre poesia...










Com o adocicado mel a escorrer entre os meus segredos.





Versejando nesta arte, esvaziando-me do medo em pranto.





Crivando em mim essa magia; emoções de afáveis enredos!










Enc: Alfredo Andersen: novos olhares



----- Mensagem encaminhada -----
De: Secretaria da Cultura
Para: odenir.ferro@yahoo.com.br
Enviadas: Segunda-feira, 8 de Agosto de 2011 17:39
Assunto: Alfredo Andersen: novos olhares




Mensagem encaminhada -----
De: Museu da Casa Brasileira
Para: odenir.ferro@yahoo.com.br
Enviadas: Segunda-feira, 8 de Agosto de 2011 11:42
Assunto: Atividades paralelas à mostra "A rua é nossa..
.