Caminho pelas Estrelas Follow by Email

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Os Seres Humanos ( Happy!) : Autor: Odenir Ferro

Raphael - 1483 - 1520
The Conversion of the Proconsul
body collurs on paper on canvas
(340 x 450cm)
1515 - 1516
Já faz algum tempinho já, em que eu não estou disponibilizando-me a escrever, diretamente, neste meu bloger www.odenirferrocaminhopelasestrelas.blogspot.com , no qual eu tanto estimo e o tenho com imensurável carinho, pois sei que através dele é que eu chego às pessoas muitas, que iguais a mim, procuram por amor, afeto, carinho, compreensão, enfim tudo o que há de bom e que está dentro e fora de cada um de nós, mas que nós, inadiverditamente, não colocamos para fora e nem para dentro. Nós nos amamos, e íncrivél, nós ainda não aprendemos a nos amar.
Isto se deve ao o quê?!
Ao o nosso orgulho, ao nosso egoísmo pessoal, aos nossos desafetos, ou a eu sei lá o quê?!
O que me inspirou a escrever este meus sentimentos, foi o fato de que eu estou ouvindo por inumeráveis vezes, a música Happy, do Michael Jackson!
Esta música, eu não me canso de ouví-la!
E na primeira vez em que eu a ouvi, eu estava parado num dos pilares do palco da Philarmônica Rioclarense, e era frio, e o ano eu não saberei agora, de momento, precisar. Mas eu era muito jovem ainda. Eu tinha cerca de quinze ou dezesseis anos... E então, eu estava muito constrangido, muito tímido, e muito triste. E então, de repente, esta música confortou-me, e alegrou-me pelo resto da vida, até... Agora!
Eu, naquele dia, estava vestido de calça de veludo "cotelê" vermelho vinho. E era frio, e eu estava com uma camisa creme, cheia de adesivo, pois era a moda do momento. E eu me lembro que um dos adesivos, no meu ombro direito, estava escrito Esso Exxoccs, ou algo parecido. Naquela época, nos anos setenta, era comum usarmos roupas assim...
E agora, eu posso dizer, no quanto eu fui feliz...
E agora, eu posso, sem poder, querer traduzir o quanto a vida vale a pena ser persistida. Eu agora posso dizer que, de tanto ser intimamente só, o quanto eu aprendi a ser um abraço, uma extenção do mundo, envolvendo-me...
Eu não me julgo "bonzinho" eu tenho até repulssa, disto... Mas, eu adoro ser infeliz ou infeliz! Eu adoro ser Odenir Ferro! Este foi o nome que o meu Papai Angelo Ferro, me deu. Eu não sei de onde ele tirou este nome que eu adoro tanto! E agora vocês talvez, me perguntem, mesmo que seja em pensamento: - E do seu pai, você não gosta, não adora!
Então, dai eu lhes responderei:
- Evidentemente, é claro que não! Adorar, idolatrar, gostar, é diferente de Amar!
Então, os meus verdadeiros Amores, eu os guardo comigo, dentro do meu coração, da minha alma, do meu espírito!
E Michael Jackson, ou melhor, a sua obra, a quase totalidade das suas músicas, eu as guardo dentro do meu coração, dentro da minha memória emotiva. Principalmente esta, a qual eu ainda insisto em ouví-la: Happy!
Então, é isto. Como eu estou de folga mesmo, aproveitei para dizer este texto. Eu espero que vocês gostem. Eu tenho um "quê" dentro de mim. De tanto eu conviver com os meus momentos de solidão, eu apendi a ser feliz desta forma, e pude estrapolar esta minha solidãoa ponto de ser um ser humano bem sucessido, dentro do tocante à compreensão incompreensível que é:
- Os seres Humanos!

Poema: VIDA DE BAILARINA

Autor: Odenir Ferro

 

A vida daquela Bailarina

Carrega, dentro de si, o fardo.

Das desequilibradas melancolias...

De quem sofreu, sofre, e sofrerá...

Todos os profundos desamores,

Dentro dos inusitados Amores!

 

Desamores, ou Amores, que,

Inescrupulosos, ou valorosos,

Saíram de um coração rancoroso, ou não?!

De um homem, de alguns homens, ou então,

De alguma mulher, ou algumas mulheres,

Que disseram, ou não, serem os seus

Eternos Amantes Apaixonados...

 

Todos, todos, Belos Príncipes Encantados!

Todas, todas, Belas Princesas Encantadas!

E você, é o quê! Você é Você, ou não?!...

Independente de Tudo, viiiiiivvvvaaaaaa!

 

Mas, qual o quê! Mas, que nada...

Eles(as) destruíram-lhe as tão sonhadoras

Paixões que lhe fervilhavam, lhe vibravam,...

Desde os pés, até a sua bela cabeça!

 

Cabeça e alma e corpo, envoltos

Nas glamourosas nuvens dos palcos,

Dos Teatros, envolvidos com os seus sonhos

Da Vida da Bailarina... A qual, de tão apaixonada,

Vai vibrando as vivências da vida que via, agora,

Dançando todos os "Ballets" apaixonados,

Sublimados nas belezas dos nostálgicos

Existidos dentro, fora, com ou sem,

Todos os brilhos das imaginações!

 


 

Enc: Pinacoteca do Estado | Curso de História da Arte



--- Em qua, 9/2/11, Pinacoteca do Estado de São Paulo > escreveu:

De: Pinacoteca do Estado de São PauloAssunto: Pinacoteca do Estado | Curso de História da Arte
Para: odenir.ferro@yahoo.com.br
Data: Quarta-feira, 9 de Fevereiro de 2011, 3:02

 



Se você não deseja mais receber nossos e-mails, cancele sua inscrição neste link

 

Enc: Uma tarde no Museu



--- Em ter, 8/2/11, auxcomunicacao@mcb.org.br escreveu:
Assunto: Uma tarde no Museu

Para: Odenir Ferro
Data: Terça-feira, 8 de Fevereiro de 2011, 17:20


Caso você não queira mais receber e-mails desse remetente ou se esse e-mail não foi solicitado, descadastre-se.

If you do not wish to receive any more e-mails from this sender or if this is an unsolicited e-mail, unregister here.

 

Enc: Uma tarde no Museu



--- Em ter, 8/2/11, auxcomunicacao@mcb.org.br escreveu:
Assunto: Uma tarde no Museu

Para: Odenir Ferro
Data: Terça-feira, 8 de Fevereiro de 2011, 17:20


Caso você não queira mais receber e-mails desse remetente ou se esse e-mail não foi solicitado, descadastre-se.

If you do not wish to receive any more e-mails from this sender or if this is an unsolicited e-mail, unregister here.