Caminho pelas Estrelas Follow by Email

domingo, 26 de dezembro de 2010

Enc: Feliz Natal



--- Em sáb, 25/12/10, Monica Donato  escreveu:

De: Monica Donato
Assunto: Feliz Natal
Para: "Monica Donato" <monicaydonato@gmail.com>
Data: Sábado, 25 de Dezembro de 2010, 4:14

 

Desejo

 

                                                                                Vitor Hugo

 

"Desejo, primeiro, que você ame e, quando amando, também seja amado. E que se não for, seja breve em esquecer e, esquecendo, não guarde mágoa. Desejo, pois, que não seja assim, mas se for, saiba ser sem desesperar.

Desejo, também, que tenha amigos, que mesmo maus e inconseqüentes sejam corajosos e fiéis, e que em pelo menos um deles você possa confiar sem duvidar. E porque a vida é assim, desejo que você tenha inimigos. Nem muitos, nem poucos, mas na medida exata para que, algumas vezes, você se interpele a respeito de suas próprias certezas. E que entre eles haja pelo menos um que seja justo para que você não se sinta demasiado seguro.

Desejo depois que você seja útil, mas não insubstituível. E que nos maus momentos, quando não restar mais nada, essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Desejo, ainda, que você seja tolerante. Não com os que erram pouco, porque isso é fácil, mas com os que erram muito e irremediavelmente. E que, fazendo bom uso dessa tolerância, você sirva de exemplo aos outros.

Desejo que você, sendo jovem, não amadureça depressa demais, que sendo maduro, não insista em rejuvenescer e, que sendo velho, não se dedique ao desespero porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor, e é preciso deixar que eles escorram entre nós.

Desejo que você seja triste, não o ano todo, mas apenas um dia. Mas, que nesse dia, descubra que o riso diário é bom, o riso habitual é insosso e o riso constante é insano.

Desejo que você descubra, com o máximo de urgência, acima e a despeito de tudo, que existem oprimidos, injustiçados e infelizes, e que eles estão a sua volta.

Desejo, ainda, que você afague um gato, alimente um cuco e ouça um joão-de-barro erguer triunfante o seu canto matinal porque assim você se sentirá bem por nada.

Desejo que você plante uma semente, por mais minúscula que seja, e acompanhe o seu crescimento para que você saiba de quantas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro porque é preciso ser prático. E que pelo menos uma vez por ano coloque um pouco dele na sua frente e diga 'isso é meu', só para que fique bem claro quem é dono de quem.

Desejo, também, que nenhum dos seus afetos morra, por ele e por você, mas que se morrer, você possa chorar sem lamentar e sofrer sem se culpar.

Desejo, por fim, que você, sendo homem, tenha uma boa mulher; sendo mulher, que tenha um bom homem, e que se amem hoje, amanhã e no dia seguinte. E que quando estiverem exaustos e sorridentes, ainda haja amor para recomeçar.

E se tudo isso acontecer, não tenho mais nada a lhe desejar."

 

Feliz Natal e um Ano Novo repleto de realizações!!! 

 

Monica

dez./2010

 


 

Enc: Feliz 2011



--- Em qui, 23/12/10, Vermelha Propaganda escreveu:

De: Vermelha Propaganda
Assunto: Feliz 2011
Para: odenir.ferro@yahoo.com.br
Data: Quinta-feira, 23 de Dezembro de 2010, 8:40


Para visualizá-lo on-line, por favor, clique aqui: visualizar
novo.jpg





Rua 4, 433 - Conjunto 2 (Avenidas 13 e 15) - Centro - Rio Claro - SP
Tel. (19) 3523-4454 | agencia@vermelha.org

 www.vermelha.org  

POLÍTICA DE PRIVACIDADE: A Vermelha Propaganda respeita a sua privacidade
e caso não deseja receber mais este tipo de e-mail, clique aqui: remover.




 

Enc: Mensagem de Natal - Região SP1



--- Em qui, 23/12/10, Setor de Divulgação - AMORC SP1  escreveu:

De: Setor de Divulgação - AMORC SP1
Assunto: Mensagem de Natal - Região SP1
Para: odenir.ferro@yahoo.com.br
Data: Quinta-feira, 23 de Dezembro de 2010, 8:36

Setor de Divulgacao - AMORC SP1
Enviamos nossos votos de Boas Festas - com muita luz, vida e amor...

RESPIRAÇÃO

 

Em seu eterno movimento,
O Universo se expande e se contrae.
É a respiração de Algo Superior.
Nesse movimento, o que estava dentro, vai para fora,
E o que estava fora, vem para dentro,
Essa respiração acontece na medida e ritmos certos!
Tanto no universo como na natureza, como nos seres humanos,
Assim precisamos, sempre, alimentar o externo com nosso melhor.
Aí perceberemos, que ao nosso redor, externamente, há o nosso melhor!!

Assim, nessa época de fortes e sublimes vibrações, desejamos para os amados fratres e sorores, muitas e boas respirações !!

  

Paz Profunda,

Grande Conselheiro e Monitores, SP1, Dez/2010
Setor de Divulgacao - AMORC SP1

AMORC SP1

Boletim das atividades dos Organismos Afiliados -SP1- Coordenação:Grande Conselheiro -SP1 - Edição: Setor de Divulgação - Colaboradores:Monitores Regionais e Organismos Afiliados. Os conceitos emitidos neste informativo são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, o ponto de vista oficial da Ordem Rosacruz - AMORC, a não ser quando afirmado.Todos os direitos reservados à Ordem Rosacruz,AMORC - Grande Loja da Jurisdição de Língua Portuguesa. Proibida a reprodução parcial ou total por qualquer meio. ADVERTÊNCIA LEGAL

Caso não deseje mais receber informativos da AMORC SP1, clique abaixo em SAFEUNSUBSCRIBE ou envie email para divulgacao.sp1@gmail.com
Safe Unsubscribe
Este email foi enviado para odenir.ferro@yahoo.com.br, por divulgacao.sp1@gmail.com
Setor de Divulgacao - AMORC SP1 | --- | SAO PAULO | 03319000 | Brazil

 

X PRÊMIO CULTURA NACIONAL / REAL ACADEMIA DE LETRAS

Poema: CONTRASTES / Autor: Odenir Ferro


Poma: CONTRASTES

Autor: Odenir Ferro

Oh! Como as árvores estão tão altas!

Escandalosamente belas, com os seus

Galhos suspensos, a balançarem-se

No ar! Neste encantado silêncio

Que invade o meu reflexivo

Momento aonde eu me amparo

Neste meditativo sonhar

Com o belo da vida...

E... Como estão, alguns pássaros,

Tão íntimos. E o quanto são eles,

Alguns não todos são é claro, muito

Ínfimos em tamanhos. Tão inúmeros

Tamanhos diversificados por tantas

Variadas espécimes...

Mas, olhem só! Muito embora,

Podem eles ir embora a voarem

Voarem, voarem... Pois que eles,

Voarem possa e sabem voarem...!

E há tanto encanto e contentamento

Nisto tudo. Pois que os ínfimos,

São as grandes partes do Todo!...

Os pássaros podem ganhar as alturas

Mais variáveis, e as imensas, as do alto,

Quando como águias, eles estão e são,

Podem olhar com interesse ou não,

Toda a plenitude existencial

Do metafísico perdurável

Que subsiste dentro do

Nosso Planeta Terra!

Terra em que, por milênios,

A Humanidade caminha, caminha...

Alguns muitos, com as suas ganâncias

E sua altivez cheia de ignorante soberba.

Outros impressos nas manifestações humildes

Que fazem com que as nobrezas corrompam-se,

Alternadamente, dentro delas mesmas,

Pois que tudo neste mundo perece

E transcende-se dentro de si

Mesmo. Cada qual, no seu

Lugar, incessantemente,

Mudando de lugares...!

E em nós, há, perdura, sempre,

Um querer auto sustentarmo-nos

Como se nós, unicamente, fôssemos

Os detentores do Poder que por si próprio,

São as fagulhas dos poderes incontidos, incontáveis,

Atuantes dentro da magnanimidade Infinita do Universo!