Caminho pelas Estrelas Follow by Email

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Poema: LINGUAGEM DOS AMORES / Autor: Odenir Ferro


Poema: LINGUAGEM DOS AMORES

Autor: Odenir Ferro

É possível saber-se podendo aprofundar-se

Nos atributos líricos contidos na poética

Dos cantos que falam que gritam e clamam

Versando-se nas dores e nas sublimações

Atuantes nos amores que todos sentimos.

E que são dramatizados pelos Poetas,

Dramaturgos, e encenados por Atores,

E as grandiosas Atrizes enamoradas,

Por este Imenso Palco Giratório!

Há, nas canções, que cantamos nós,

As vivenciadas emoções das vozes

De cada interior que se embarga

Na sonora cadência intuitiva glamorosa

Das nossas Vozes versejando os Amores,

Sublimes amores, atuantes nas vidas...

Dentro de cada anseio que há nas pessoas

Que agem e reagem sempre, tão sonhadoras,

Através do continuum que se cerca imenso,

Nas misteriosas forças descomunais, e que,

São atuantes nas dimensões atemporais...

Que vão dramatizando-se, rumo ao incomum,

No inimaginável que atua no além da vida!

Tudo em mim, às vezes, flui, entorpecendo-se

Pelas encantadoras emoções tridimensionais.

Vivificadas por mim, através das Vozes,

Grandes vozes, dos Sábios Vultos,

Que vibram dentro do meu interior

O meu ego embriagando-se no real

Fimbrio fio que está perpétuo pelos

Meus sonhos, adjuntos aos D’Eles!

Há no aflito interior de mim, por mim,

O que há por nós. Pessoas tão humanas,

Que somos semelhantes aos nós de nós!

Fazendo das guerras o querer da paz!

Desejando do amor alguma veracidade

Do que há no sentir, no vibrar,

No acreditar, evidenciando sim,

Todas as linguagens transpostas

Nos elos intraduzíveis do Amor

Acontecendo dentro do todo o

Que é possível em cada sonho

Realizando-se nas encenações

Da vida consagrando tudo o

Que possível, seja, crer:

- Com Deus, tudo é Real!

Tudo é possível dentro de todas

Às vezes, em que nos elevamos...

Os olhos nossos para o Infinito!

Enquanto abrasamo-nos envolvidos

Num desejoso querer expurgar-nos

Dos pecados que atuam até, naqueles

Êxtases, pecaminosos êxtases, que nós,

Ainda não os cometemos...! Portanto, não há

Nos olhares por nós, os muitos pecados...

E nem mesmo há os pecados por mim, por nós,

Nem em mim, e nem em nós, e nem no além de

Mim, e muito menos no além que está além de nós...

Com a Sorte e os sorrisos prefigurados da Paz,

Quero crer que haja algo originado dos Céus!

Atravessando as luzes vindas do Céu, respeitoso,

Eu quero contemplar minha Iluminação, nas Forças

Que atuam dentro deste meu sonhar...!

Afirmando que:

- Com Deus,

Sou possível!

Trilhando nos Caminhos da Vida: - Amando!

Nesta Natureza revelando-me todo um Mundo!

Mostrando-me os valores mais profundos...!

- De se Ser, de se Ter, e de se Acreditar!

Crendo que a vida, pertence àqueles humildes

Que são entregues na Fé, sabendo se amarem...

Construindo forças, com a coragem para fluírem,

Dentro de cada irracional comoção, alguma mensagem,

Que sobreviverão além destes seus profundos toados cantos

Versejando-os sobre o Tudo. Enquanto eu vou falando, indo

Tecendo sublimes versos sobre as intraduzíveis e tão lindas,

Linguagens dos Amores...

- Vivas, nos vivos que nascem e renascem insistentemente,

Dentro de cada envelhecido novo Verbo incluído em cada

Novo insistente e reincidente ato vivo de cada Sonhar!

Fw: AMNESTY INTERNATIONAL AMNISTIE INTERNATIONALE ¡Amnisty Internacional! Amnisty Internacional!



   de notre ambassadeur TERESINKA  PEREIRA USA
                      votre indulgence pour les traductions merci !
 
                                           

      

 

    

AMNESTY INTERNATIONAL
ANNIVERSARY
 
 
La prison est pire que tous les ouragans, tous les cyclones,
la prison c'est une longue  vie d'agonie
en dehors du temps des vivants, c'est vivoter
loin de tout dans une cage de barreaux.
La  prison rompt tous les liens avec le monde,
elle impose le sacrifice de jours  
qui semblent des siècles,
avec des échéances qui semblent
ne jamais se rapprocher.
Mais les objecteurs de conscience
ont pour seul espoir leurs camarades du dehors,
ceux qui rendent toute leur noblesse aux barreaux
et transforment leur silence en lettres pour la liberté,
si bien que leurs larmes arrivent à traverser
les déserts de l'opression pour sauver l'innocence.
Cela fait vingt ans que nous écrivons
aux directeurs des prisons, aux présidents des nations
afin de lancer nos semences de liberté
à travers toute la planète.
Alors, joyeux anniversaire,
camarades d'Amnisty International!
 
 
 
The prison is worse than all the hurricanes, all the cyclones, 
the prison is a long life anguish
 apart from the time of alive, it is to live sparely
 far from all in a cage of bars.
The prison breaks all the bonds with the world, 
it imposes the sacrifice of days 
who seem centuries, 
with expiries which seem 
never to bring closer.
But conscientious objectors 
for only hope their comrades of the outside, 
have those which return all their nobility to bars 
and transform their silence into letters for freedom, 
so that their tears manage to cross 
deserts of oppression to save innocence.
That made twenty years that we write 
with the directors of the prisons, the presidents of nations 
in order to launch our seeds of freedom 
through all the planet.
Then, happy birthday, 
comrades International Amnisty! 
 
La prisión es peor que todos los huracanes, todos los ciclones, 
la prisión c es una larga vida agonía 
aparte del tiempo del vivos, c es ir tirando 
lejos de muy en una jaula de colegios.
La prisión rompe todos los vínculos con el mundo, 
impone el sacrificio de días 
quiénes parecen siglos, 
con vencimientos que parecen
 nunca se de abogados.
Pero los objetores de conciencia 
tienen por sola esperanza sus camaradas del exterior, 
los que vuelven a toda su nobleza a los Colegios de Abogados 
y transforman su silencio en cartas para la libertad, 
aunque sus lágrimas llegan a cruzar 
los desiertos de opresión para salvar inocencia.
eso hace veinte años que escribimos 
a los directores de las prisiones, a Presidentes de las naciones 
con el fin de lanzar nuestras semillas de libertad 
a través todo del planeta.
Entonces, feliz cumpleaños, 
camaradas  ¡Amnisty Internacional!
 
 
A prisão é pior que todos os furacões, todos os ciclones,
 a prisão c é uma longa vida  agonia 
 fora do tempo do vivos, c é vivoter 
distante muito numa gaiola de advocacias.
A prisão quebra todas as relações com o mundo, 
impõe o sacrifício de dias 
quem parecem séculos,
com prazos que parecem 
nunca se aproximar.
Mas os objectores de consciência 
têm para única esperança os seus camaradas da parte externa,
 os que tornam qualquer sua nobreza às advocacias 
e transformam o seu silêncio em cartas para a liberdade, 
de modo que as suas lágrimas chegam a atravessar 
os desertos de opressão para salvar  inocencia.
aquilo faz vinte anos que escrevemos 
aos directores das prisões, presidentes das nações 
a fim de lançar as nossas sementes de liberdade 
através de qualquer planèta.
Então, feliz aniversário, 
camaradas  Amnisty Internacional!
&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&