Caminho pelas Estrelas Follow by Email

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Poema: TUCA MIRANDA / Autor: Odenir Ferro

Poema: TUCA MIRANDA
Autor: Odenir Ferro
Eu vou caminhante numas oras,
Nas oras outras, até, lá vou eu
Cambaleante sempre avante num vôo
Atravessando os labirintos intensivos
Que se esparramam sobre inconscientes
Coletivos reflexivos, repensando os seus
Amores, através das Ondas do Rádio!
Emotivo, repensando os meus valores,
Atravesso pelas dores existenciais
Ditando-nos os nossos conflitos
Que nos dilaceram e se
Retraem abertos, ou,
Circunspectos...
Dentro do Cálice das Vidas!
Fico emocionado, ao meditar,
Avaliando no quanto possível
Pode ser que, sendo tão viva
Cordial e amável e profunda
Personalidade guerreira,
Seus Valores Humanos
Expõem-se nos Ápices
Das batidas velozes
Das emoções
Embalando
A sua Voz
Eloquente, no seu coração,
Que generosamente no sempre,
Convida-nos a sentarmo-nos,
Em torno da sua mesa farta
De beleza, saúde, sabores,
Bebidas, brindando à Vida!
Comidas, fartando-nos
Até a ansiedade agir,
Através dos sonhos
Na atitude do amor
Amizade e pura Fé!
Proseamos a poesia ativa da vida,
Liberando a liberdade de comermos
De bebermos e discutirmos todas
As dissertações discurseiras
Nas quais nos posicionamos
Inabaláveis, nos embalos
Abalados desta Vida...
Assim somos e assim é minha Amiga
Tuca Miranda, sempre tão humilde
Bravia Guerreira defensora do Ser
Acima do ter. Uma Amiga sincera,
Nas afetivas crenças que se discorrem
Através das travessias das suas emoções!
Sempre acumulando forças além das razões
Que se perpetuam sublimes, através da
Felicidade querendo encobrir-lhe
As nódoas desta infelicidade
Que todos nós a carregamos
Tão entorpecidos pelas
Evoluções naturais
Das caminhadas
Pela Vida...
Tentando ser feliz, quase que sou!
Muitas vezes sendo, acreditando que
Sendo estou, vendo motivos tantos,
Para feliz, caminhar. Sendo um ser
Amante da vida que me perpetua
Na força da imaginação de ser.
Pois sendo feliz, feliz tento ser!
Por saber-me feliz lisonjeado, eu,
Também vivendo por saber merecedor
Eu ter meu espaço no seu seleto grupo.
Amigos incomuns, brindando a força
Sempre tão empolgante da Arte Viva
Que nos enaltece, enquanto os altos
Sonhos que nos empolgam tanto voam
Plenos, além do aquém de nós mesmos!
Buscando, talvez, os muitos luares,
As estrelas, dias de sol, noites de chuvas,
Dias ou noites, num sem fim. Rabiscando-nos
Através de algumas poesias feitas no momento
Da vida atuando dentro destes acontecimentos
Prendendo-nos na força da respiração fluindo
A nossa fé e a nossa crença na sublime beleza
Escrita nos alentos encantadores da nossa luz
Evidenciando o brilho da nossa alma criativa!
Delineando-nos através da poesia sublime viva
Da nossa existência dedilhando os acordes
Deste Amor que vem nos segredar que a
Felicidade está no trivial dos dias
Comuns vividos com a imaginação
Incontida dentro de o nosso agir.
Quando pulsamos a existência,
Ditando-nos o Sonho encantado
No atravessado das incertezas.
Aonde vamos embora triunfantes
Através das realizações
Cheias de Vitórias!
Eu, às vezes, fico um tanto quanto, como um
Consternado. Sem querer ter de acreditar
Que alguém, tão especial perante a vida,
Como é a Tuca Miranda, radiando a sua voz,
Através das Ondas do Rádio, sendo mulher
Porque assim ela é, sem esforço algum,
Pois a sua genética a criou assim e fim!
Embora para alguns, sendo a desdita,
Para muitos milhões é e será a bendita!
Sempre embora, seguindo avante,
Pois ela saber ser a tão querida
Preferida, colorida, aguerrida,
Através da sua altura conquistada
Nos valorosos sublimes dos sonhos!