Caminho pelas Estrelas Follow by Email

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Falando de Caminho Pelas Estrelas

Texto: Falando de Caminho Pelas Estrelas
Autor: Odenir Ferro

A lua em seu luar minguante, mais se parecia com um imenso anel com uma meia lua fina e saliente, dourando de reflexos de luzes, o céu noturno cravejado por uma constelação esplêndida de inumeráveis estrelinhas cintilantes, encrustradas nas insondáveis negruras do céu equidistante.
Olhava o rítmo pulsante imenso da vida que vibrava em minha volta e então, novamente pensara na imensidão natural e rica que compreende todos os pontos cardeais do nosso belo Planeta Terra!
Minha imaginação vagueara pelos espaços ruidosos do tempo, querendo sondar uma amplidão maior, numa tentativa de querer então eu, naquele instante especial do meu momento, preencher as lacunas vazias da minh'alma!
Quando penso em abraçar o mundo com o melhor das emoções, rebusco dentro de mim as que melhor estiverem a minha disposição, desejoso de querer repartí-la com a Humanidade!
Olhava naquele dia, o Universo imensurável residente dentro de todas as existencias viventes no Planeta Terra e dentro da alma do coração palpitante de cada ser vivo.
Embora a lua minguante estivesse em fase descrescente, eu me sentia expansivo e muito feliz, ao tentar novamente abraçar o mundo e as boas e justas causas dele, com todo o meu Amor pulsante e regente dentro do que dele melhor em mim se continha e se expandia, emanando uma energética e pulsante primorosa beleza para todas as pessoas que também em pleno destado contemplativo de Amor, estivessem assim como eu, a se amar, se auto contemplar e o Universo exposto no céu noturno do nosso Planeta Terra, estivessem a reverenciar.
Se às vezes falo muito em Amor, natureza, pessoas, não é por que quero eu, ser um alienado ausente da realidade do mundo. Não! Muito pelo contrário!
Acontece que o meu desejo é procurar trilhar meus pensamentos e direcionar meus escritos pelos Caminhos do Óbvio, que são os misteriosos e insondáveis Caminho do Amor!
Pois creio que a alma humana é um mistério profundo. Um mistério envolto e feito de amores e ódios.
Procuro não tocar nas feridas e cicatrizes deixadas pelos ódios, não agredir as doloridas entrenhas dos corações, não ferir os espíritos e nem espetar os corpos com o fél amargo dos desassossegos e dos desamores.
Todos nós, seres humanos que somos, de uma forma ou de outra, sofremos. Mas, já disse, não quero falar das nossas chagas, das nossas feridas abertas ou entranhadas no ego do nosso íntimo com raízes profundas...
Nem quero falar das dores do Mundo!
Eu quero falar dos Amores do Mundo!
Amores tão plenos de valores!
Valores que ainda existem e resistem na rotina normal do cotidiano do nosso dia-a-dia, dentro desse frenético agito rápido imposto pelos rítmos pulsantes das agitações da vida moderna!
Penso nos insetos, nas abelhas, nos animais, em como eles são tão humildes e belos e plenos de vidas exuberantes em ricas e presentes existências!
E nós, embora com características semelhantes às deles, não somos como eles. O nosso núcleo social de existência opera em outras faixas emocionais de ações e atuações. E temos domínio sobre eles, embora não tenhamos total domínio dos impulsos extraídos das vivências construídas no social convívio humano do cotidiano de nós mesmos! Em síntese, nós queremos ter domínio sobre todas as existências do Planeta, mas não encontramos harmonia de domínio sobre nós, ou dentro de nós mesmos!
Na Era da Globalização em que vivemos, onde através dos meios da Comunicação cada vez mais nos aprimoramos na Arte da Comunicação, encurtando distâncias dos Continentes e podendo, dessa forma, fortalecer os laços culturais e gerar divisas culturais e costumes sociais entre os povos dos diversificados Países que compõem o nosso Planeta Terra, por incrível que pareça ainda não aprendemos a cultuar o Exercício do Amor, procurando amor ao nos amarmos, e ao nosso próximo como a nós mesmos!
A Internet é esse excelente veículo virtual que cultua a dinâmica estrutural do nosso imaginário ideário moderno, possibilitando assim, dessa forma, uma rápida e muito excessiva até, Comunicação entre os Povos do Planeta, diminuindo as fronteiras e as distâncias da nossa Aldeia Global, levando a nossa comunicação a quem estiver interessado ou ascessível em lê-la, discutí-la, enfim acrescentar-se com novos valores emocionais na vida pessoal, através dela.

Desejo agora, voltar novamente com o assunto exposto no Poema Cognição ( A Família Humana )
Bem, como já disse, eu não me canso de elogiar e dizer que o Livro Bilhões e Bilhões do nobre Cientista Carl Sagan, foi um dos melhores livros que li em toda a minha vida, no sentido de informações completas e abrangentes nele expostas, no sentido científico de muitas questões sociais e comportamentais dos seres vivos do Planeta e também do que a Ciência, quanto Ciência já pode descobrir até os nossos dias de hoje, no tocante as incríveis descobertas dos misteriosos mecanismos do funcionamento, origens, e dinâmicas existenciais que compõem o Universo, as Galáxias, e toda a conjunção harmoniosa dos Planetas e astros, estrelas, enfim, todo o conjunto que gerou e gera o fascinante mistério que cerca a vida e todas as formas de existências em si. Esse assunto é pra mim altamente inspiracional pois fala de nós, fala da vida, fala do Amor e das razões do por que estarmos aqui! A minha visão é inteiramente emocional e poética diante os fascínios do Universo Regido por nosso Criador.
A facilidade com que exponho minhas emoções tentando traduzir dentro da minha linguagem emocional as características externas a mim, no tocante ao dinamismo que preenche de vida nosso dia a dia, é uma forma praseirosa e muito amorosa, pois tento criar uma ponte entre minhas emoções e todas as emoções que convergem para as belezas existentes dentro da Criação tão bela e eterna do nosso Pai de Divino Amor.
Nasci com esse dom inspiracional e então escrevo: O título do Blog CAMINHO PELAS ESTRELAS, é mais que um título, e eu estou adorando escrever neste meu Blogger.
Agora, sobre o Poema Cognição ( A Família Humana ) desejo deixar registrado aqui, trechos inéditos do Poema, numa espécie de make off, trechos que não foram publicados pois dada a minha excessiva inspiração ao assunto, escrevi além do espaço que me era reservado para publicá-lo. Então, sendo assim agora que tenho esse amplo e maravilhoso espaço, desejo publicar, postar, alguns versos a mais, pois julgo que eles são também uma parte, embora inédita até agora, do poema em si, e que desejo repartí-la com a Humanidade, pois são versos importantes no sentido de filosofarmos na procura de uma harmonia amorosa diante nossas dificuldades e crises existenciais atuais, devido as rápidas e bruscas transformações pelas quais o Planeta Terra atualmente esta passando. Obrigado!
Eis então, os Versos inéditos:

"A palavra Verbo em ação é a força geradora
Dos poderes cognitivos formadores de Ícones
Onde as imagens geram o teor das linguagens
Onde as metáforas se transcendem nas belezas
Das luzes do saber, quando ocorrem sabedorias
Nos fímbrios fios das nuances ações emotivas,
Que navegam nas pulsantes ondas sonoras
Geradoras das afetividades dos corações,
Onde atuam e distribuem-se conotativos
Impactos emotivos geradores da Cognição
Das linguagens diversas das crenças,
Das religiões de várias origens,
Das falas buscando o Ego Maior,
Onde imperam razões e as paixões
Do amor sublime existencial amor
Criado nos afetos dos vínculos
Tecidos nas teias familiares
Onde a força motriz é razão
Unida a emoção gerando
Equilíbrio numa busca,
Da idealização social."

Outra Parte:

"Nossos sonhos são metáforas cognitivas
Vivenciados no abstrativo dos desejos,
Onde nosso querer movimenta o Mundo,
Construindo nosso universo pessoal,
Baseando-se em tudo o que amamos
Cremos e desejamos ao sonharmos."

Outra Parte, pra finalizar:

" Na vida tudo são recantos, oásis,
Divinos pedaços existenciais do nosso amor!
Viaja pelo espaço intergalático,
As errantes naves espaciais
Voyager 1 e 2, a uma velocidade
De 70.000 quilômetros por hora!
levando cada vez mais distante,
A nossa esperança de perpetualidade
Na base do que a Ciência, até agora,
Pode nos oferecer, falando das belezas
Criadas pela estética da poesia
Versada no sublime sentimento humano
Do amor, do amor ao Amor Cognitivo,
Nos sons das baleias, das músicas,
Tudo isso rumo ao desconhecido!
Insondável mar aberto do espaço!
Interestelar rumo ao infinito,
Passeando pelas Miríades Consteladas
Das Estrelas, dos Cometas, do Belo em si,
Levando nossos humildes sonhos,
Com a projeção de encontrar
Outras Vidas, numa vida útil
De durabilidade estimada
Em 1(um) Bilhão de anos...
Deus e Ciência!
Deus É Ciência!?

CAMINHO PELAS ESTRELAS
ODENIR FERRO